Páginas

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Irmã Dulce será beatificada em 22 de Maio


A data para a cerimônia de beatificação de Irmã Dulce já foi definida. Será no dia 22 de maio de 2011, em missa que será celebrada no Parque de Exposição (Av. Paralela), em Salvador (BA). A informação foi divulgada pela assessoria de comunicação da arquidiocese de Salvador.

De acordo com a assessoria, o arcebispo de Salvador, cardeal dom Geraldo Majella Agnelo, designou o padre Manoel Filho para coordenar o evento. O horário da missa ainda não foi definido. A comissão organizadora do evento é composta por padres, leigos e representantes das Obras Sociais Irmã Dulce.

Fonte: CNBB

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Natal: ver com os olhos do coração


Somos obrigados a viver num mundo onde a mercadoria é o objeto mais explícito do desejo de crianças e de adultos. A mercadoria tem que ter brilho e magia, senão ninguém a compra. Ela fala mais para os olhos cobiçosos do que para o coração amoroso. É dentro desta dinâmica que se inscreve a figura do Papai Noel. Ele é a elaboração comercial de São Nicolau – Santa Claus - cuja festa se celebra no dia 6 de dezembro. Era bispo, nascido no ano 281 na atual Turquia. Herdou da família importante fortuna. Na época de Natal saia vestido de bispo, todo vermelho, usava um bastão e um saco com os presentes para as crianças. Entregava-os com um bilhetinho dizendo que vinham do Menino Jesus.

Santa Claus deu origem ao atual Papai Noel, criação de um cartunista norte-americano Thomas Nast em 1886, posteriormente divulgado pela Coca-Cola já que nesta época de frio caía muito seu consumo. A imagem do bom velhinho com roupa vermelha e saco nas costas, bonachão, dando bons conselhos às crianças e entregando-lhes presentes é a figura predominante nas ruas e nas lojas em tempo de Natal. Sua pátria de nascimento teria sido a Lapônia na Finlândia, onde há muita neve, elfos, duendes e gnomos e onde as pessoa se movimentam em trenós puxados por renas.

Papai Noel existe? Esta foi a pergunta que Virgínia, menina de 8 anos, fez a seu pai. Este lhe respondeu:”Escreva ao editor do jornal local! Se ele disser que existe, então ele existe de fato”. Foi o que ela fez. Recebeu esta breve e bela resposta:

Sim, Virgínia, Papai Noel existe. Isto é tão certo quanto a existência do amor, da generosidade e da devoção. E você sabe que tudo isto existe de verdade, trazendo mais beleza e alegria à nossa vida. Como seria triste o mundo se não houvesse o Papai Noel! Seria tão triste quanto não existir Virgínias como você. Não haveria fé das crianças, nem a poesia e a fantasia que tornam nossa existência leve e bonita. Mas para isso temos que aprender a ver com os olhos do coração e do amor. Então percebemos que não há nenhum sinal de que o Papai Noel não exista. Se existe o Papai Noel? Graças a Deus ele vive e viverá sempre que houver crianças grandes e pequenas que aprenderam a ver com os olhos do coração.

É o que mais nos falta hoje: a capacidade de resgatar a imaginação criadora para projetar melhores mundos e ver com o coração. Se isso existisse, não haveria tanta violência, nem crianças abandonas nem o sofrimento da Mãe Terra devastada.

Para os cristãos vale a figura do menino Jesus que tirita sobre as palhinhas sendo aquecido pelo bafo do boi e do jumento. Disseram-me que ele misteriosamente através de um dos anjos que cantaram nos campos de Belém enviou a todas as crianças do mundo uma cartãozinho de Natal no qual dizia:

Queridos irmãozinhos e irmãzinhas:

Se vocês olhando o presépio e me virem aí, sabendo pelo coração que sou o Deus-criança que não veio para julgar mas para estar, alegre, com todos vocês,

Se vocês conseguirem ver nos outros meninos e meninas, especialmente no mais pobrezinhos, a minha presença neles,

Se vocês conseguirem fazer renascer a criança escondida no seus pais e nos adultoss para que surja nelas o amor a ternura,

Se vocês ao olharem para o presépio perceberem que estou quase nuzinho e lembrarem de tantas crianças igualmente pobres e mal vestidas e sofrerem no fundo do coração por esta situação desumana e desejarem que ela mude de fato,

Se vocês ao verem a vaca, o boi, as ovelhas, os cabritos, os cães, os camelos e o elefante pensarem que o universo inteiro recebe meu amor e minha luz e que todos, estrelas, pedras, árvores, animais e humanos formamos a grande Casa de Deus,

Se vocês olharem para o alto e virem a estrela com sua cauda e recordarem que sempre há uma estrela sobre vocês, acompanho-os, iluminando-os, mostrando-lhes os melhores caminhos,

Então saibam que eu estou chegando de novo e renovando o Natal. Estarei sempre perto de vocês, caminhando com vocês, chorando com vocês e brincando com vocês até aquele dia que só Deus sabe quando estaremos todos juntos na Casa de nosso Pai e de nossa Mãe de bondade para vivermos bem felizes para sempre.

Belém, 25 de dezembro do ano 1.

Assinado: Menino Jesus

Leonardo Boff é autor de Sol da Esperança: Natal,histórias,poesias,simbolos, Mar de Ideias, RJ 2007.
Autor: Leonardo Boff

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Presidente do CGI divulga mensagem de Natal


O presidente do Conselho Geral Internacional da Sociedade de São Vicente de Paulo (CGI/SSVP), MIchael Thio, felicita os vicentinos do mundo todo por meio de uma carta, divulgada nesta semana (LEIA O TEXTO NA ÍNTEGRA). O tema dela é as comemorações natalinas.

No documento, ele externa a alegria de poder comemorar o primeiro Natal na função de presidente do CGI:

Queridos Vicentinos,

A Paz e o Amor de Cristo estejam convosco.

Este ano foi muito importante para a Sociedade porque, pela primeira vez na História da SSVP, teve lugar a eleição de um Presidente Geral não Europeu e essa escolha recaiu sobre mim, um Asiático que se tornou no XV Presidente Geral. Estou muito impaciente por trabalhar com todos vós a fim de continuar a tarefa dos nossos fundadores. Somos chamados a uma vocação e missão Vicentina de servir a Cristo nos pobres e devemos partilhar esta responsabilidade, reafirmando a nossa promessa do Baptismo e a nossa devoção junto do Senhor e do Bem-aventurado Frederico Ozanam e seus companheiros.
Este é o meu primeiro Natal convosco, como Presidente Geral, e desejaria encarecidamente homenagear o Menino Jesus que veio, na manhã desse primeiro Natal e trouxe tanta alegria ao mundo inteiro. Esperamos e imploramos a Sua Bênção para a Sociedade, os seus membros e benfeitores que repercutem e partilham essa Alegria com os pobres e necessitados que servimos no mundo inteiro.
Devemos ser portadores de Fé, Esperança, Caridade e do Amor de Cristo para todos os nossos amigos necessitados, para aliviar a sua carga e dar-lhes uma oportunidade de viver uma vida digna – o direito Divino de cada pessoa, rica ou pobre, porque todos somos filhos de Deus! Façamos com que a sua vida seja diferente, especialmente no Natal.

Ao mesmo tempo não devemos esquecer a razão do nascimento de Jesus o qual, como todos professamos, foi enviado por Deus para redimir o mundo inteiro. O Menino Jesus está aqui numa missão de sacrifício e somos as Suas testemunhas. Defendendo a causa dos pobres, ressaltam as acções e virtudes Cristãs e são a demonstração da glória de Deus. Como Vicentinos, na nossa missão apostólica de caridade, reflictamos e irradiemos o nosso modo de vida Cristão como seguidores e discípulos de Jesus. “Deixe a vossa luz brilhar diante dos homens, para que eles vejam as vossas boas obras e participem da Glória do vosso Pai que está nos Céus”. Mateus 5-16.


Gostaria de aproveitar esta oportunidade para desejar a todos vós e vossas famílias um Santo e Alegre Natal e um ano novo cheio de experiências e espiritualidade. Continuem com o maravilhoso trabalho que estais fazendo e que o Senhor os abençoe abundantemente.

JESUS É A RAZÃO DESTAS FESTAS – JESUS AMA-VOS

Em nossa Mãe Maria, São Vicente e Beato Frederico,

Vosso dedicado e sincero

Michael Thio
Presidente Geral

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Morre presidente da SSVP na Austrália


O presidente do Conselho Geral Internacional da Sociedade de São Vicente de Paulo (CGI), Michael Thio, divulgou uma nota sobre a morte do presidente da SSVP na Austrália, confrade Syd Tutton. Ele também era membro da mesa do CGI, na função de vice-presidente para a Comissão de Finanças de presidente do Concordado.
A seguir, a carta de Michael Thio traduzida para o português.


É com uma verdadeira dor que os informo a morte do nosso querido amigo Syd Tutton, presidente nacional da SSVP na Austrália e membro da mesa do Conselho Geral, como vice-presidente para a Comissão de Finanças e presidente do Concordado. Ele faleceu no domingo, 12 de dezembro de 2010, às 3h da madrugada em Melbourne. Rezemos todos pelo descanso de sua alma.
Syd foi um vicentino muito empenhado e dava sempre o melhor para os Pobres e necessitados. Sempre dava prioridade aos Pobres da Sociedade. Era uma pessoa generosa; um líder respeitado e apreciado, e que se destacava pelos trabalhos desenvolvidos pela SSVP. Ao mesmo tempo, era uma pessoa de grande espiritualidade. Quando o vi pela última vez, em 3 de dezembro de 2010, sua vez muito debilitada me pediu para rezar que o Senhor o chamasse o mais rápido possível, para que ele se unisse ao Bom Deus no céu. Este homem de muita fé me emocionou muito. É um homem de Deus. Perdemos um excelente vicentino, um líder e um grande amigo.
O Funeral de Syd será dia 17 de dezembro de 2010, em Melbourne, a cidade dele de nascimento. Neste difícil momento de dor, rezem pela esposa dele Josefina e os membros de sua família.
Syd encontrará finalmente um descanso eterno.


Michael Thio
Presidente do CGI


FONTE: DA REDAÇÃO DO SSVPBRASIL


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Padre brasileiro vai assessorar Família Vicentina em nível internacional



Nesta semana, o superior Geral da Congregação da Missão – padre Gregory Gay – divulgou uma circular, em que anuncia a sucessão no cargo de assessor da Família Vicentina Internacional. A vaga, que era ocupada anteriormente pelo padre Manuel Ginete, será assumida pelo padre brasileiro Eli Chaves dos Santos, da Província do Rio de Janeiro. Ele já foi assessor espiritual do Conselho Nacional do Brasil (CNB).
Na carta, o padre Gregory Gay saúda o novo delegado para a Família Vicentina. “O padre Eli terá o suporte de todos os responsáveis da Família Vicentina, com a finalidade de que possamos continuar a crescer juntos em nosso serviço e na evangelização dos Pobres”.
A seguir, a carta traduzida para o português:


A todos os membros da Família Vicentina,

Depois de ter servido durante seis anos como delegado para a Família Vicentina, o padre Manuel Ginete nos deixará para servir em uma nova missão. Em primeiro lugar, quero agradecer ao serviço que, com grande generosidade foi realizado em favor da Família Vicentina em nível internacional, especialmente nos países de língua inglesa, onde contribuiu, dentre outras coisas, para a consolidação da estrutura da Família Vicentina, além de dar uma formação aos assessores nos diversos continentes.
O padre Ginete será sucedido pelo meu assistente Geral, padre Eli Chaves dos Santos, da Província do Rio de Janeiro. O padre Eli te uma grande experiência no acompanhamento da Família Vicentina, particularmente da Sociedade de São Vicente de Paulo, no seu país de origem.
Quero agradecer ao padre Ginete e assegurar ao padre Eli o meu suporte e de todos os responsáveis pela Família Vicentina, com o fim de que possamos continuar a crescer juntos em nosso serviços e na evangelização dos Pobres.
A senhora María Pilar López, que prestou seu serviço de secretária com grande generosidade durante os últimos seis anos, terminará seu serviço nos primeiros meses do próximo ano. A senhora María Pilar fez um maravilhoso serviço de reorganização dos documentos, de uma forma muito sistemática e profissional. A agradeço não só pelo trabalho realizado dentro da assessoria, como também pelas diferentes visitas que ela efetuou, acompanhando a Família Vicentina em diversos lugares do mundo, assim como por sua ajuda junto ao padre Gonete, em nossas reuniões em nível da Família Vicentina Internacional.
A vaga da senhora Maria Pilar será ocupada pela senhora Ana Aparecida Martins, da Província do Rio de Janeiro.
Para apoiar o trabalho da Família Vicentina, nós anunciamos que o padre Eli e a senhora Ana Aparecida serão ajudados pelo padre Juventino Castillero, da Província da América Central. Ele trabalhará em tempo parcial na Oficina da Família Vicentina e, também, em tempo parcial na Oficina de Comunicaçãoi da Curia Geral. O padre Juventino fala espanhol e nos apoiará na Família Vicentina dos países de língua espanhola.
Estas são as nossas notícias que queria anunciar, com relação à reestruturação da Assessoria da Família Vicentina em nível internacional. Agradeço a ajuda que nos tem sido concedida pelo desenvolvimento do nosso carisma de Família Vicentina.

Padre Gregory Gay – da Congregação da Missão (CM)

FONTE: DA REDAÇÃO DO SSVPBRASIL

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Olhar demais para o céu


Pe. Zezinho, scj

Vez por outra encontro sacerdotes ou leigos que dizem que preferem falar do espiritual e que deixam para os outros isso de falar dos problemas pessoais. Como se fosse correto! Nenhum pregador está dispensado de falar contra a tortura, contra o roubo e a corrupção, contra as drogas, contra os assassinatos, contra a exploração dos pobres, contra a injustiça e a escravidão.
Quem nunca entra nesses assuntos, errou de vocação. É como querer levar o chantili sem levar o bolo; ou como pregar apenas a ressurreição sem falar de cruz e de morte. Nenhum cristão está dispensado de falar sobre a dor do povo e as injustiças do nosso tempo. Até porque, falar em favor do povo não é apenas atitude política: é dever de religioso. Quando Ester defendeu seu povo, estava fazendo política. Quando Moisés orou por seu povo fez muito bem. Quando brigou por seu povo, fez muito bem. Mas quando, irado, mandou matar três mil idólatras, fez muito mal. Nisso, ele errou, porque Deus não manda matar ninguém.

O perigo de olhar muito para o céu é que a pessoa corre o risco de ficar cega. Luz, na posição certa, ilumina. Nos olhos, cega! O problema do fanático é bem esse. Acha-se tão iluminado que acaba cego. Os evangelistas dizem que Jesus olhava para o céu de vez em quando ao orar (Mt 14,19; Lc 9,16). Os Atos dos Apóstolos narram que, enquanto os discípulos olhavam para o céu, procurando Jesus, que para lá subira, dois homens de branco,ao lado deles, disseram que não deviam mais procurar Jesus lá em cima e, sim, aqui em baixo, porque um dia ele voltaria (At 1,11). E é bem por isso que muitos de nós religiosos vemos com respeito a teologia da libertação, que consiste em olhar para o irmão ao lado e convidá-lo a trazer um pouco do Céu para a Terra.
Se a Bíblia nos manda olhar menos para o céu, deve ser porque ficar o tempo todo olhando para o céu, além de causar torcicolo é não entender a fé cristã... Se Jesus fazia as duas coisas, devemos fazer o mesmo: orar para o alto em sinal de respeito para com Deus, que é muito maior do que nós, e para o lado, em sinal de respeito para com o Zé da Silva e a Maria das Dores, que precisam de nossos cuidados...

www.padrezezinhoscj.com

DVD - São Vicente de Paulo - O capelão das Galeras


Agora, dublado!

DVD - São Vicente de Paulo - O capelão das Galeras

Filme de Pierre Fresnay e Yvonne Gaudeau - Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 1948 e vencedor do Globo de Ouro de 1949.
Edição Especial remasterizada, dublada e legendada.

Preço: R$ 15,00 mais despesas de Correio.

Pedidos para:
Edson
E-mail: edsonfred@uol.com.br

ou
Mizaél
E-mail: mizaelpoggioli@uol.com.br

Livro: "Os Vicentinos e o Parlamento Brasileiro"


confrade Renato Lima de Oliveira, autor dos livros “Crônicas Vicentinas” e “Outras Crônicas Vicentinas”, acaba de lançar seu novo livro, intitulado "Os Vicentinos e o Parlamento Brasileiro", que reúne 60 discursos proferidos por deputados federais e senadores sobre a Sociedade de São Vicente de Paulo no período compreendido entre 1957 e 2010. A capa do livro traz a imagem fotográfica do Palácio do Congresso Nacional, em Brasília. A publicação é uma fonte de pesquisa para quem estuda as relações institucionais da entidade com mundo político. Com 48 páginas, o livro está sendo distribuído gratuitamente (apenas despesas postais, dependendo do número de exemplares). O confrade Renato conseguiu quatro patrocinadores que pagaram as despesas gráficas: Renato André, Sílvio Ferreira, Tadeu Filippelli e José Humberto Dellalíbera, a quem o autor agradece de coração pela ajuda. Os Conselhos Metropolitanos da SSVP ou os demais ramos da Família Vicentina que desejarem imprimir o livro podem pedir o orçamento ao cfd. Renato, a fim de que o livro seja reimpresso para atender as demandas que chegarem. Agradecemos a todos que puderem nos ajudar na difusão desta mais nova publicação vicentina.


Pedidos para: Renato Lima
Preço: Somente despesas Postais - a combinar.
E-mail: renatolima1970@uol.com.br.

Vicentinos celebram Imaculada Conceição de Maria


O dia 8 de dezembro é festivo para os membros da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP). Esta é uma das três datas que, anualmente, são comemoradas as Festas Regulamentares da entidade. No Dia da Imaculada Conceição, ou no domingo mais próximo, os vicentinos devem promover uma reunião festiva, com a celebração da Santa Missa.
De acordo com a Regra da SSVP, durante a Festa da Imaculada Conceição, os novos confrades e consócias – que já foram proclamados nas respectivas Conferências – devem ser apresentados, ocasião quando vão prestar o compromisso vicentino.
Diferente da Festa Regulamentar do Bem-aventurado Antonio Frederico Ozanam, promovida em abril pelo Conselho Nacional do Brasil (CNB), a Festa da Imaculada Conceição de Maria pode ser realizada pelos Conselhos Metropolitanos, Centrais, Particulares ou até Conferências, explica o confrade Hélio Pinheiro, terceiro vice-presidente do CNB. “Hoje, um Conselho Particular com base em cidade distinta da sede do Conselho Central, não só pode, como deve promover as Festas Regulamentares de São Vicente e Imaculada Conceição, de modo que, todos os confrades e consócias tenham condições de marcar presença. E mais: se o Conselho Particular tem Conferências em zonas rurais, longe da sede , elas também podem promover (as Festas Regulamentares)”.



IMACULADA CONCEIÇÃO

A Imaculada Conceição é segundo o dogma católico, a concepção da Virgem Maria sem mancha ("mácula" em latim) do pecado original. O dogma diz que, desde o primeiro instante de sua existência, a Virgem Maria foi preservada por Deus, da falta de graça santificante que aflige a humanidade, porque ela estava cheia de graça divina. Também professa que a Virgem Maria viveu uma vida completamente livre de pecado.
A festa da Imaculada Conceição, comemorada em 8 de dezembro, foi definida como uma festa universal em 1476 pelo Papa Sisto IV. A Imaculada Conceição foi solenemente definida como dogma pelo Papa Pio IX em sua bula Ineffabilis Deus em 8 de Dezembro de 1854. A Igreja Católica considera que o dogma é apoiado pela Bíblia (por exemplo, Maria sendo cumprimentada pelo Anjo Gabriel como "cheia de graça"), bem como pelos escritos dos Padres da Igreja, como Irineu de Lyon e Ambrósio de Milão. Uma vez que Jesus tornou-se encarnado no ventre da Virgem Maria, era necessário que ela estivesse completamente livre de pecado para poder gerar seu Filho.

FONTE: da redação do SSVPBRASIL

sábado, 4 de dezembro de 2010

Lar São Vicente de Paulo inaugura nova ala


O Lar São Vicente de Paulo de Marília inaugurou na manhã desta quinta-feira (21) continuação da ala masculina. Em espaço de 270 metros quadrados foram construídos três banheiros e seis quartos com capacidade para 18 pessoas, além de área de lazer. Obra no valor de R$ 300 mil, que demorou três anos para ser finalizada, foi construída com 80% de recursos provenientes de doações. Todo o espaço é adaptado conforme o Estatuto do Idoso.

“A parte dos homens estava muito apertada, agora vamos poder proporcionar maior conforto, segurança e qualidade de vida”, salienta o secretário da entidade, Renato Lorato.

A instituição fundada em 1936 atende atualmente 62 idosos. O custo mensal com a manutenção do Lar é de R$ 50 mil. As verbas são provenientes de convênios firmados com a Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, Governo Federal e de parte das aposentadorias dos idosos. Outra fonte de renda são as constantes doações da população.

O Lar conta com 40 funcionários entre enfermeiros, cozinheiras, secretárias, serviços gerais e porteiro. No local é oferecido alimentação, lazer e higiene. Além do atendimento de fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, podologo e psicólogo.

A Irmã Nadir Damião de Oliveira que trabalha há três anos no local destaca a importância do trabalho desenvolvido na entidade e das visitas feitas aos idosos. “É um trabalho muito bonito e gratificante. Os idosos são muito carentes e precisam do nosso apoio e compreensão, por isso contamos com a contribuição da comunidade”, diz.


Fonte: Jornal Diário de Marilia

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Superior Geral da Congregação da Missão divulga circular sobre o tempo do 'Advento'


O 'Advento', período que antecede as comemorações do nascimento de Jesus, foi iniciado no último domingo (28/11). Para promover uma reflexão sobre esta data, o superior Geral da Congregação da Missão (CM), padre Gregory Gay, divulgou uma circular.

No texto - destinado a todos os ramos da Família Vicentina - padre Gregory Gay faz uma correlação da trajetória de Jesus com a vida dos Pobres. Ele também divulga uma oração, intitulada 'As bem-aventuranças para a Ação Social'. Leia , a seguir, a carta na íntegra.

Advento 2010

A todos os membros da Família Vicentina

Queridos Irmãos e Irmãs,

Que a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo estejam em seus corações agora e sempre!

“Graças à ternura e misericórdia de nosso Deus, que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente, que há de iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz” (Luc 1, 78-79).

Trevas e luz, noite e dia, desespero e esperança, morte e vida, inferno e paraíso são imagens, que sempre vêm à mente, em nossa meditação e nossa oração durante o tempo do Advento, o qual temos, mais uma vez, o privilégio de viver. Estas imagens contrastantes estão sempre presentes e não cessam de nos cercar no mundo em que vivemos. Um dia, o profeta Habacuc exclamou: “Por que me mostrais o espetáculo da iniquidade, e contemplais vós mesmo essa desgraça? Só vejo diante de mim opressão e violência, nada mais que discórdias e contendas” (Hab 1, 3). Quando eu ouvi a proclamação deste texto há algumas semanas na Eucaristia dominical, fiquei impressionado por sua atualidade: hoje ainda, estamos cercados pela mesma violência e as mesmas destruições, quer sejam de origem natural ou humana.

Há tantas vidas humanas destruídas por catástrofes naturais. Penso na epidemia da cólera no Haiti; centenas de pessoas que tinham sobrevivido ao terremoto morreram. Elas continuam sofrendo, não cessam de cruzar um verdadeiro inferno. No Paquistão, centenas de pessoas desapareceram nos ciclones que atingiram recentemente as regiões asiáticas; quantas pessoas perderam a vida, a saúde, sua casa? Entre as catástrofes de origem humana, pensemos na violência vivida na fronteira entre o México e os Estados Unidos onde depois de 2006, mais de 30.000 pessoas foram assassinadas em conflitos ligados à droga. Tanta violência diante de nossos olhos. O Advento é um tempo para transformar o que é trevas em luz, este inferno vivido em paraíso, o desespero em esperança e que uma vida digna pode ser um objetivo realizável.

Intitulei minha meditação deste ano: “Natal: o relato de uma vida sem fronteiras”. Quando nós percorremos as diferentes passagens da Escritura que a Igreja oferece para a nossa meditação durante este tempo do Advento, encontramos o tema de um Deus que é para todos, um Deus de todas as nações. De certo modo, é irônico porque Jesus, quando nasceu neste mundo, nasceu num recanto, num lugar onde ninguém gostaria de viver, num abrigo para os animais. E, portanto, o contraste vem do fato de que, embora Ele tenha sido colocado neste lugar de sobrevivência, Ele tornou-se para nós, o Deus da vida para todos, o Deus que não conhece fronteiras, um Deus que veio entre nós para derrubar as fronteiras que impedem os homens aproximarem-se uns dos outros, que venham de outro país, como a fronteira entre os Samaritanos e os Judeus, ou porque as pessoas ricas e cultas não se misturam com as que são consideradas como as excluídas da sociedade; Jesus veio derrubar esta fronteira de todos estes intitulados de indesejáveis: leprosos, mendigos, cegos, enfermos.

Por seu nascimento na pobreza, Jesus, em palavras e em atos, enche a vida das pessoas de riqueza, paz, bondade, saúde, reconciliação e cura, e as conduz das trevas à luz, do desespero à esperança, da morte à uma vida nova. Em agosto passado, tive a oportunidade de visitar o Projeto Juan Diego, um apostolado das Filhas da Caridade situado na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Esta visita me falou do dom de uma vida nova, da felicidade de um verdadeiro nascimento que recebemos no Natal. As Filhas da Caridade formaram um grupo de pessoal leigo e de voluntários que compõem uma comunidade dinâmica. Eles visitam as pessoas que viveram nas trevas, que experimentaram as angústias da desesperança e lhes oferecem luz e a esperança em uma vida nova. Eu, pessoalmente, vivi isto quando visitei algumas pessoas que tiveram suas vidas transformadas pelo Projeto Juan Diego. São pessoas acompanhadas pelos voluntários, funcionários e Irmãs que entraram em suas vidas e que lhes deram a oportunidade de viver uma vida nova.

Percebi isto através do testemunho de um homem da minha idade, que estava literalmente, desligado do mundo, vivendo confinado em seu pequeno quarto, recusando mesmo sair em seu pátio, para entrar em contato com as outras pessoas, que poderiam passar perto dele. Após um acompanhamento e uma presença cheia de doçura, mas também, de firmeza, este homem acabou descobrindo quem ele era realmente. Depois de ter tido a felicidade de viver pela primeira vez de sua vida, doravante, ele vive com entusiasmo e o desejo de sair dos confins de sua casa, para encontrar-se com os outros e encorajá-los a levar a vida de uma nova maneira, que ele mesmo descobriu. O testemunho deste homem é somente um exemplo, dos numerosos relatos de pessoas que receberam uma vida nova, a partir do momento em que foram capazes de superar os limites, que elas se impuseram. Elas acabaram reconhecendo o dom da vida que é Deus para cada um de nós e para todos os homens. Este dom foi depositado em nós e faz parte integrante do significado do Natal: o dom do próprio Deus, Jesus encarnado que entra em nossa vida, ajudando-nos a descobrir nossos próprios dons, encorajando-nos e levando-nos a nos superar para oferecer este dom, a fim de ajudar outros a descobri-lo neles mesmos.

Próximo deste bairro onde as Filhas da Caridade são um sinal de vida nova e partilham esta vida com outros, há um outro grupo de Filhas da Caridade que é fonte de vida, mas de uma maneira muito diferente. Poderia-se dizer que elas vivem o inferno. Esta comunidade de Filhas da Caridade mora justamente do outro lado da fronteira em uma cidade que é devastada pela violência e a destruição por causa da droga, a pobreza, a ganância e a ignorância. As Irmãs passaram a fronteira para se unirem às Filhas da Caridade do Projeto Juan Diego, logo após celebrarmos juntos a Eucaristia, que é o ápice de nossa vida, a fonte de nossa força e a verdadeira experiência do dom que Deus faz de Si mesmo entre nós.

Falando com as Irmãs que vivem do lado da fronteira mexicana, escutando os seus relatos de horror e sofrimentos quotidianos, em meio aos quais elas vivem, fiquei impressionado pelo contraste da presença das Irmãs que vivem de um lado da fronteira comparado ao das Irmãs que vivem do outro. E, contudo, mesmo se pudéssemos considerar uma como o paraíso e outra como o inferno, a presença delas, sinal da graça de Deus entre estes pobres, torna possível uma esperança e uma vida nova.

Através destas duas experiências percebo, claramente, o que Deus nos diz no cântico de Zacarias: “Graças à ternura e misericórdia de nosso Deus, que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente, que há de iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz” (Luc 1, 78-79). Esta ternura, este amor do coração de nosso Deus é o dom do próprio Jesus, do alto o sol nascente nos veio visitar, este dom de Jesus através de seu nascimento em Belém, que por sua vida, sua morte e ressurreição continua brilhando sobre aqueles que permanecem nas trevas, no desespero, na morte e no inferno. E por Seus instrumentos de amor, eles são conduzidos pelo caminho da paz.

Meus Irmãos e Irmãs, como membros da Família Vicentina, neste tempo do Advento, somos chamados a estar próximos daqueles a quem chamamos nossos Senhores e Mestres, quando estes vivem em situações de trevas e angústia, e ser para eles, instrumentos de esperança e vida. Juntos, como Família Vicentina, e com nossos Senhores e Mestres, somos chamados a ser construtores, construtores da solidariedade que tem como alicerce o amor, e não construtores de muros, que separam a humanidade. Somos chamados a viver a vida de Jesus, esta vida que veio a nós no dia em que Ele nasceu. Ele nos convida a ir além dos muros, além dos limites, das fronteiras, aquelas que tão frequentemente nós mesmos construímos, ou as que foram construídas pela sociedade na qual vivemos. Muitas vezes, trata-se de tradições que nós aprendemos ou de preconceitos que, simplesmente, adotamos.

Gostaria de partilhar com vocês, uma oração que eu encontrei numa celebração preparada pela Comissão da União dos Superiores Maiores para a Justiça, a Paz e a Integridade da Criação, a fim de celebrar o dia internacional da recusa da miséria e a eliminação da pobreza. Esta oração, intitulada As bem-aventuranças para a Ação Social, foi adaptada à nossa realidade como Família Vicentina.

* Bem-aventurados sois vós, quando permaneceis disponíveis, partilhando com simplicidade o que possuis.
* Bem-aventurados sois vós, quando chorais pela falta de felicidade ao vosso redor e no mundo.
* Bem-aventurados sois vós, quando optais pela doçura e pelo diálogo, ainda que isso pareça longo e difícil.
* Bem-aventurados sois vós, quando criativamente inventais ideias novas, formas de doar vosso tempo, partilhar vossa ternura e semear a esperança.
* Bem-aventurados sois vós, quando sabeis escutar com o coração para descobrir o presente que são os outros.
* Bem-aventurados sois vós, quando experimentais dar o primeiro passo necessário para construirdes a paz com os irmãos e irmãs através do mundo.
* Bem-aventurados sois vós, quando conservais o coração aberto ao encantamento, à acolhida e ao questionamento da vida.
* Bem-aventurados sois vós, quando tomais a sério a fé no Cristo encarnado.

Ao longo deste tempo do Advento, peço-lhes meditar esta oração, individualmente e com as pessoas, com as quais partilham a vida. Em nossa vida, temos numerosas experiências de uma vida sem fronteiras. São experiências do relato de Natal, experiências da presença de Jesus entre nós. Que o nosso próprio testemunho no mundo seja um sinal que ajude as pessoas a saírem da noite e a virem ao dia, a se distanciarem de suas trevas para entrarem numa luz nova, a erguê-los do desespero e a plenificá-los de esperança, a fazê-los passar da morte para uma vida nova, a tirá-los do inferno, para conduzi-los ao paraíso. Podemos fazer isto acontecer se nós vivermos verdadeiramente o dom de Cristo encarnado, o dom de Sua vida, o de Seu amor e o dom de Sua paz. Podemos agir assim, não só com as pessoas que nos são próximas, mas também, com aquelas que estão distantes e não podemos reunirmo-nos a elas.

Seu irmão em São Vicente,

G. Gregory Gay, C.M.
Superior geral

FONTE: da redação do SSVPBRASIL

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Falece Presidente do Conselho Central de Tatuí

Faleceu no dia de ontem (29/11) a Consócia MARIA JOSÉ DE ALMEIDA GONÇALVES (LELA), que presidia até então o Conselho Central de Tatuí/SP. Seu corpo está sendo velado no Velório Municipal de Tatuí (ao lado do Fórum). o sepultamento será hoje (30/11), às 14 horas.

domingo, 28 de novembro de 2010

Lar São Vicente de Paulo de Piedade elege sua nova Presidente




No dia de Santa Catarina de Labouré, no ano do Jubileu de Prata pelos seus 25 anos de fundação, o Lar São Vicente de Paulo de Piedade conheceu na tarde do dia 28 de Novembro a sua nova Presidente para o próximo biênio 2011/2012.
Em Assembléia realizada nas dependências do Lar foi eleito a Consócia Maria de Fátima Ferreira Souza para dirigir a instituição que hoje atende 37 internos.
A Cerimônia de Posse da nova Presidente, sua diretoria e Conselho Fiscal será marcada em Solenidade Própria no primeiro trimestre de 2.011.

Histórico
O Lar São Vicente de Paulo, Obra Unida a SSVP, era um sonho dos vicentinos, pertencentes à Conferência Nossa Senhora da Piedade, fundada em 10/11/1928. O sonho começou a torna-se realidade no dia 08/05/1979 em reunião no salão paroquial, sede da Conferência, convocada pelo presidente, a qual teve início as 09h30min, estiveram presentes: José Anchieta Figueiredo, José Escanhoela Sobrinho, Benedito Dias de Moraes , Roberto Rolim da Silva, Horacio Gavioli, Abílio Pereira da Silva, Eugenio Godinho, Antonio Vichi, Helmuth Kurt Schneider, José Victorino Dias e Oscar Pires de Oliveira, todos vicentinos. Nesse mesmo dia foi escolhida a comissão encarregada da construção do Lar São Vicente de Paulo, de Piedade/SP. O terreno para a construção do referido Lar, foi doado pelo Sr. Mário Gomes de Abreu e sua esposa Sra. Zilda Maria de Abreu, constando de uma área de 12.100 m². E o sonho tornou - se realidade após cinco anos de luta, tendo iniciada a construção no dia 29/12/1979 e término no dia 02/06/1985, com área de 2.100m² de área construída.

LAR SÃO VICENTE DE PAULO
CNPJ: 45.919.362/0001-19
Utilidade Pública Municipal Lei nº 1879 de 17/08/1989
Utilidade Pública Estadual – Decreto nº 41.555 de 20/01/1997
Utilidade Pública Federal – 23/10/1998, conforme Art. 4º da Lei nº 91/35 e Art. 5º do Decreto 50.517/61
Endereço: RUA JOSÉ BERTHOLDO GODINHO, Nº 436 – PARQUE DA TORRE – PIEDADE/SP – CEP. 18170-000
e-mail: lsvppiedade@hotmail.com
Telefone: (15) 3244-1048 – TEL/FAX: (015) 3244-1278
Fundação: 04/09/1985
Horário de Visitas: das 14h00 às 16h30
Funcionários: 28
Número de Internos: 37
N° de Quartos: 20
Capacidade de Atendimento (espaço físico): 50

28 de Novembro, dia de Santa Catarina Labouré


Na pequena aldeia de Fain-les-Moutiers, na Borgonha, Catarina nasceu a 2 de maio de 1806, a nona dos onze filhos de Pedro e Luísa Labouré, honestos e religiosos agricultores.

Quando tinha apenas nove anos, Catarina perdeu a mãe. Após o funeral, a menina subiu numa cadeira em seu quarto, tirou uma imagem de Nossa Senhora da parede, osculou-a e pediu-lhe que Ela se dignasse substituir sua mãe falecida.

Três anos depois, sua irmã mais velha entrou para o convento das Irmãs da Caridade de São Vicente de Paulo. Couberam a Catarina, então com 12 anos, e à sua irmã Tonete, com 10, todas as responsabilidades domésticas. Foi nessa época que ela recebeu a Primeira Comunhão. A partir de então a menina passou a levantar-se todos os dias às quatro horas da manhã, para assistir à Missa e rezar na igreja da aldeia. Apesar dos inúmeros afazeres, não descuidava sua vida de piedade, encontrando sempre tempo para meditação, orações vocais e mortificações.

São Vicente de Paulo indica-lhe sua vocação

O tempo foi passando, e Catarina crescendo em graça e santidade. Certo dia ela sonhou que estava na igreja e viu um sacerdote já ancião celebrando a Missa. Quando esta terminou, o sacerdote fez-lhe um sinal com o dedo, chamando-a para perto de si. Porém, tímida, Catarina retirou-se do recinto sagrado e foi visitar um doente. O mesmo sacerdote apareceu-lhe, e disse: “Minha filha, é uma boa obra cuidar dos enfermos; você agora foge de mim, mas um dia será feliz de me encontrar. Deus tem desígnios sobre você, não se esqueça”. Catarina acordou sem entender o significado do sonho.

Mais tarde, visitando o convento das Irmãs da Caridade de Chatillon, onde estava sua irmã, viu na parede um quadro representando o mesmo ancião. Perguntou quem era, e responderam-lhe que se tratava de São Vicente de Paulo, fundador da Congregação. Catarina entendeu então que sua vocação era a de ser uma das filhas do Santo da caridade.

Mas seu pai não queria ouvir falar disso. Já bastava ter dado uma filha a Deus, e ele tinha muito apego a Catarina. Para distraí-la dessa idéia, mandou-a a Paris, para ajudar seu irmão que tinha lá uma pensão. Foi uma provação para a santa ver-se em meio aos rudes fregueses do estabelecimento, o que a fez redobrar as orações para manter sua pureza de coração e o fervor de espírito.

Uma cunhada a convidou a ir para sua casa, em Chatillon, onde mantinha uma escola para moças. Ali Catarina podia ir freqüentemente ao mosteiro das Irmãs da Caridade, que ficava perto. E foi nessa casa religiosa que ela entrou a 22 de janeiro de 1830, quando seu pai deu-lhe finalmente a devida permissão. Catarina tinha então 24 anos de idade.

Preparação para importantes revelações

Depois de passar pelo postulantado em Chatillon, Catarina foi mandada para o noviciado na Casa-mãe das vicentinas, na Rue du Bac, em Paris. Nesses dias, a comunidade rezava uma solene novena preparatória para a trasladação das relíquias de São Vicente de Paulo.

Catarina teve várias visões do Santo, e sobretudo do seu coração, que ficara incorrupto. Mas era agraciada com outras visões especiais. Conforme narra ela mesma, uma delas “era a de ver Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento. Eu O vi durante todo o tempo do meu noviciado, exceto todas as vezes que eu duvidava; nesses dias eu nada via, porque procurava aprofundar-me em indagações sobre este mistério, e temia enganar-me”.(1) No domingo da Santíssima Trindade, “Nosso Senhor me apareceu no Santíssimo Sacramento durante a Missa cantada, como um rei, tendo uma cruz ao peito. No momento do Evangelho, pareceu-me que a cruz caía aos pés de Nosso Senhor e que Ele estava sem as insígnias reais; todas tinham caído por terra. Tive então os mais negros e tristes pensamentos: pensei que o Rei da Terra estava perdido e ia ser despojado da realeza; e depois disso pensei, sem saber explicar, na extensão dos grandes males que viriam”.(2) Com efeito, poucas semanas depois, Carlos X foi destituído do trono e banido do reino.

Essas graças eram uma preparação para as grandes aparições da Mãe de Deus.

Imagem de Nossa Senhora das Graças e a Medalha Milagrosa
Primeira visão da Santíssima Virgem

Na véspera da festa de São Vicente, ainda em 1830, a Mestra de Noviças tinha feito uma preleção sobre a devoção aos santos, e especialmente a Nossa Senhora. Isso inflamou na Irmã Catarina o desejo de ver a Mãe de Deus. Quando foi deitar-se, pegou um pedacinho de uma sobrepeliz de São Vicente, que a Mestra tinha dado como relíquia às noviças, e engoliu-o, julgando assim que São Vicente poderia alcançar-lhe essa graça.

Quando tudo no convento estava tranqüilo e todos dormiam, às onze e meia da noite, a Irmã Catarina ouviu uma voz de criança que a chamava. Abriu o cortinado do leito e viu um menino de uns cinco anos de idade, que lhe disse: “Venha à capela. A Santíssima Virgem a espera”. Catarina vestiu-se rapidamente e seguiu a criança até a capela, que estava iluminada como para a Missa de Natal.
O menino, que era o Anjo da Guarda de Catarina, conduziu-a ao presbitério, para junto da cadeira do Padre Diretor. Aí ela ajoelhou-se. Depois de um tempo que lhe pareceu longo, ouviu o ruído do frufru de um vestido de seda e viu a Santíssima Virgem sentar-se na cadeira. Conta-nos Catarina: “Ela me disse como eu devia proceder para com meu diretor, como devia proceder nas horas de sofrimento e muitas outras coisas que não posso revelar”.(3)

Essas coisas que ela não podia contar em 1830, revelou-as depois: “Várias desgraças vão cair sobre a França; o trono será derrubado; o mundo inteiro será revolto por desgraças de toda sorte”. Falou também de “grandes abusos” e “grande relaxamento” nas comunidades de sacerdotes e freiras vicentinas, e que deveria alertar disso os superiores.

Voltou, em seguida, a falar de outros terríveis acontecimentos que ocorreriam em futuro mais distante, prevendo com 40 anos de antecedência as agitações da Comuna de Paris e o assassinato do Arcebispo; prometeu sua especial proteção, nessas horas trágicas, aos filhos e às filhas de São Vicente de Paulo.

Revelação extraordinária da Medalha Milagrosa

No dia 27 de novembro de 1830, Catarina havia acabado de fazer a leitura da meditação, na capela, quando ouviu o característico frufru de um vestido de seda. Olhou para o lado e viu Nossa Senhora vestida de branco, sobre uma meia-esfera. Tinha nas mãos uma bola que representava o globo terrestre, e olhava para o Céu.

“De repente — narra Catarina — percebi anéis nos seus dedos, engastados de pedras brilhantes, umas maiores e mais belas do que as outras, das quais saíam raios que eram, também, uns mais belos que os outros”. Nossa Senhora explicou-lhe que tais raios simbolizavam as graças que derramava sobre as pessoas que as pediam.

Continua Catarina: “Formou-se um quadro em torno da Santíssima Virgem, de forma oval, no alto do qual estavam escritas, com letras de ouro, estas palavras: Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!”

Ao mesmo tempo, uma voz disse-lhe para mandar cunhar uma medalha conforme aquele modelo, com a promessa de que as pessoas que a trouxessem ao pescoço receberiam muitas graças, “principalmente as que a trouxessem com inteira confiança”.

Instantes depois o quadro girou sobre si mesmo, e Catarina viu o reverso da medalha.

Catarina distribui medalhas entre os revolucionários da Comuna de Paris, em 1871
Difusão da Medalha e graças operadas

Catarina perguntou a Nossa Senhora a quem recorrer para confecção da medalha. A Mãe de Deus respondeu-lhe que deveria procurar seu confessor, o Pe. João Aria Aladel: “Ele é meu servidor”. No início, o Pe. Aladel não acreditou no que Catarina dizia; mas, após dois anos de insistência, ele procurou o Arcebispo, que ordenou em 20 de junho de 1832 que fossem cunhadas duas mil medalhas.

O modo como se difundiram as medalhas foi tão prodigioso, juntamente com grande número de graças operadas, que a medalha passou a ser conhecida como Medalha Milagrosa. Por exemplo, em março de 1832, quando iam ser confeccionadas as primeiras medalhas, uma terrível epidemia de cólera, proveniente da Europa oriental, atingiu Paris. Mais de 18 mil pessoas morreram em poucas semanas. Num único dia, chegou a haver 861 mortes.

No fim de junho, as primeiras medalhas ficaram prontas e começaram a ser distribuídas entre os flagelados. Na mesma hora refluiu a peste, e tiveram início, em série, os prodígios que em poucos anos tornariam a Medalha Milagrosa mundialmente célebre.

A missão de Catarina Labouré estava cumprida. Os 46 anos que lhe restaram de vida, ela os passou como uma humilde irmã, da qual praticamente nada havia para falar. Só quando se aproximou sua morte, em 1876, sua superiora soube que fora ela a privilegiada Irmã que recebera aquela sublime missão.

Ela foi beatificada pelo Papa Pio XI em 1933 e canonizada no dia 27 de julho de 1947 pelo Papa Pio XII.

Cinqüenta e seis anos após sua morte, o corpo de Catarina foi encontrado inteiramente incorrupto, e é como se encontra ainda hoje na capela das Irmãs da Caridade, na Rue du Bac, em Paris.(4)

sábado, 27 de novembro de 2010

Hoje é dia de Nossa Senhora das Graças


Em uma tarde de sábado, no dia 27 de novembro de 1830, na capela das Irmãs Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, Santa Catarina Labouré teve uma visão de Nossa Senhora. A Virgem Santíssima estava de pé sobre um globo, segurando com as duas mãos um outro globo menor, sobre o qual aparecia uma cruzinha de ouro. Dos dedos das suas mãos, que de repente encheram-se de anéis com pedras preciosas, partiam raios luminosos em todas as direções e, num gesto de súplica, Nossa Senhora oferecia o globo ao Senhor.

Santa Catarina Labouré relatou assim sua visão: "A Virgem Santíssima baixou para mim os olhos e me disse no íntimo de meu coração: 'Este globo que vês representa o mundo inteiro (...) e cada pessoa em particular. Eis o símbolo das graças que derramo sobre as pessoas que as pedem.' Desapareceu, então, o globo que tinha nas mãos e, como se estas não pudessem já com o peso das graças, inclinaram-se para a terra em atitude amorosa. Formou-se em volta da Santíssima Virgem um quadro oval, no qual em letras de ouro se liam estas palavras que cercavam a mesma Senhora: Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós. Ouvi, então, uma voz que me dizia: 'Faça cunhar uma medalha por este modelo; todas as pessoas que a trouxerem receberão grandes graças, sobretudo se a trouxerem no pescoço; as graças serão abundantes, especialmente para aqueles que a usarem com confiança.' "

Então o quadro se virou, e no verso apareceu a letra M, monograma de Maria, com uma cruz em cima, tendo um terço na base; por baixo da letra M estavam os corações de Jesus e sua Mãe Santíssima. O primeiro cercado por uma coroa de espinhos, e o segundo atravessado por uma espada. Contornando o quadro havia uma coroa de doze estrelas.

A mesma visão se repetiu várias vezes, sobre o sacrário do altar-mor; ali aparecia Nossa Senhora, sempre com as mãos cheias de graças, estendidas para a terra, e a invocação já referida a envolvê-la.

O Arcebispo de Paris, Dom Quelen, autorizou a cunhagem da medalha e instaurou um inquérito oficial sobre a origem e os efeitos da medalha, a que a piedade do povo deu o nome de Medalha Milagrosa, ou Medalha de Nossa Senhora das Graças. A conclusão do inquérito foi a seguinte: "A rápida propagação, o grande número de medalhas cunhadas e distribuídas, os admiráveis benefícios e graças singulares obtidos, parecem sinais do céu que confirmam a realidade das aparições, a verdade das narrativas da vidente e a difusão da Medalha".

Nossa Senhora da Medalha Milagrosa é a mesma Nossa Senhora das Graças, por ter Santa Catarina Labouré ouvido, no princípio da visão, as palavras: "Estes raios são o símbolo das Graças que Maria Santíssima alcança para os homens."

Oração à Nossa Senhora das Graças

Ó Imaculada Virgem Mãe de Deus e nossa Mãe, ao contemplar-vos de braços abertos derramando graças sobre os que vo-las pedem, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão, inúmeras vezes manifestada pela Medalha Milagrosa, embora reconhecendo a nossa indignidade por causa de nossas inúmeras culpas, acercamo-nos de vossos pés para vos expôr, durante esta oração, as nossas mais prementes necessidades (momento de silêncio e de pedir a graça desejada).

Concedei, pois, ó Virgem da Medalha Milagrosa, este favor que confiantes vos solicitamos, para maior Glória de Deus, engrandecimento do vosso nome, e o bem de nossas almas. E para melhor servirmos ao vosso Divino Filho, inspirai-nos profundo ódio ao pecado e dai-nos coragem de nos afirmar sempre como verdadeiros cristãos. Amém.

Rezar 3 Ave Marias. Depois: Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Família Vicentina destina subvenção para projeto na Eslovênia

O Conselho Nacional da Sociedade de São Vicente de Paulo da Eslovênia foi beneficiado com uma subvenção de 30 mil dólares, em uma iniciativa da Família Vicentina, de promover um câmbio sistêmico para que seja efetivado o projeto 'Comunidade de Reintegração'. A iniciativa visa a promoção de ex-usuários de drogas, depois que eles saem dos centros de recuperação.

Inicialmente, cinco pessoas participarão do projeto. Será reformada uma casa, com o propósito de oferecer um serviço de apoio aos ex-usuários.

Fonte: da redação do SSVPBRASIL, com dados do SSVPGLOBAL

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Plenária de Osasco foi um sucesso

Entre os dias 12 e 15 de novembro de 2010, Centro Antônio Frederico Ozanam, em Osasco (SP), o Conselho Nacional do Brasil (CNB) realizou sua Plenária Nacional, com a presença dos Presidentes de todos os Conselhos Metropolitanos do país, além dos próprios Diretores de importantes Departamentos no âmbito do Conselho (DECOM, DENOR, CCA, ECAFO, CJ e outros). Os confrades Renato Lima e Júlio César Marques de Lima, representantes do Conselho Geral Internacional, não puderam participar do evento, por conta de compromissos familiares, mas enviaram uma mensagem que foi lida pela csc. Ada Ferreira, Presidente do Conselho Nacional. Com o lema "Com Cristo nos Pobres: Caridade e Missão", os temas que foram debatidos na Plenária do Conselho Nacional do Brasil estão publicados no Site do Conselho Nacional nesta semana. Fonte: Edição nº 456 do Portal de Notícias REDE DE CARIDADE

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Novembro, um mês Vicentino


Novembro é a festa da Milagrosa (27/11). Este mês também comemoram a festa de Santa Catarina (28/11), o mensageiro da Medalha e do aniversário da fundação das Filhas da Caridade (29/11), propagadores incansável dele. Muitos missionários vão gastar tempo e esforço para animar a Família Vicentina, ea devoção toda a Igreja, a Virgem da Medalha Milagrosa. Em 01 de julho, a CM, representada em sua 41a Assembléia Geral, foi para a capela da rue du Bac para colocar nas mãos de Maria, os seus trabalhos e projetos. Agora, quando as províncias e comunidades se esforçam para programação em seus projetos, as recomendações da Assembléia Geral, apelando também para o altar, a convite de Maria.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Papa convida novos cardeais a não caírem na lógica do poder


Bento XVI convidou a não cair na lógica do poder, mas a viver a lógica do serviço, esse sábado, ao criar 24 cardeais no terceiro consistório ordinário público de seu pontificado.

Na celebração da Palavra, que aconteceu na Basílica de São Pedro, recebeu o barrete cardinalício um purpurado de língua portuguesa: o brasileiro Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida.

“Na Igreja ninguém é patrão, todos somos chamados, todos somos convidados, todos somos alcançados e guiados pela graça divina. E esta é também nossa segurança!”, assegurou o pontífice durante a homilia.

Ele recordou que Jesus não veio para ser servido, mas para servir. “É uma mensagem que vale para os apóstolos, vale para toda a Igreja, vale sobretudo para quem tem a tarefa de guia no Povo de Deus”, afirmou.

“Não é a lógica do domínio, do poder segundo os critérios humanos, mas a lógica de ajoelhar-se para lavar os pés, a lógica do serviço, a lógica da Cruz, que é a base de todo exercício da autoridade”, sublinhou.

“Em todo tempo a Igreja está comprometida em se moldar a esta lógica e a testemunhá-la para fazer transparecer o verdadeiro ‘Senhorio de Deus’, o do amor”, seguiu dizendo.


Por este motivo, Bento XVI se dirigiu diretamente aos novos purpurados: “a missão à qual Deus vos chama hoje e que vos habilita para um serviço eclesial ainda mais carregado de responsabilidade requer uma vontade sempre maior de assumir o estilo do Filho de Deus, que veio em meio a nós como aquele que serve”.

“Por isso, é necessário um enraizamento ainda maior e forte em Cristo. A relação íntima com Ele, que transforma sempre mais a vida até poder dizer com São Paulo ‘não vivo eu, é Cristo que vive em mim’, constitui a exigência primária para que nosso serviço seja sereno e alegre e possa dar o fruto que o Senhor espera de nós”.

Após o consistório, o Colégio Cardinalício conta com 203 membros, dos quais 121 são eleitores. Há 111 cardeais europeus, 21 da América do Norte, 31 da América Latina, 17 da África, 19 da Ásia e 4 da Oceania.

FONTE: Zenit

Ações do CNB para 2011 serão pautadas no lema 'Mudar para transformar'


O Conselho Nacional do Brasil da Sociedade de São Vicente de Paulo já escolheu o tema que deve nortear os trabalhos no próximo ano. Ele é: 'Mudar para transformar'. O anúncio foi feito durante a Plenária Nacional, realizada na semana passada, em Osasco (SP).

Durante o evento, a presidenta do CNB, Ada Ferreira, explicou a escolha. "Temos que promover uma mudança pessoal na forma de ver o Pobre e, depois, agir para transformar de forma efetiva a vida dele".

Em 2010, o CNB acolheu o tema lançado pela Família Vicentina: 'Com Cristo nos Pobres: Caridade e Missão'.

Dentro dessa óptica de transformação social, o Conselho Nacional do Brasil lança um projeto que vai destinar R$150 mil para ações vicentinas que promovam a 'Mudança de Estruturas'.

FONTE: da redação do SSVPBRASIL

sábado, 20 de novembro de 2010

Igreja é a 2ª em lista de instituições mais confiáveis


A confiança da população nas instituições sofreu mudança importante no último trimestre. É o que revela pesquisa do Índice de Confiança na Justiça (ICJ Brasil), produzido pela Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo (FGV-SP). Enquanto o Judiciário ficou em situação desconfortável, empatada com a polícia e à frente apenas do Congresso e dos partidos políticos, a Igreja saltou do 7.º lugar para a segunda posição.

Para Luciana Gross Cunha, professora da Escola de Direito da FGV-SP e coordenadora do ICJ Brasil, a controvérsia sobre o aborto travada entre o primeiro e o segundo turno das eleições presidenciais pesou decisivamente para o aumento do índice de confiança na Igreja. "A Igreja estava em um grau baixo de avaliação quando foi feita a apuração no segundo trimestre, muito perto da crise envolvendo a instituição com denúncias de pedofilia", observa Luciana. "A última fase da coleta coincidiu com a discussão sobre o aborto nas eleições presidenciais. Isso fez a diferença."

Nesse trimestre, 54% dos entrevistados disseram que a Igreja é uma instituição confiável. No segundo trimestre 34% deram essa resposta. "A Igreja só perde para as Forças Armadas e ganha de longe do governo federal e, inclusive, das emissoras de TV que normalmente são instituições consideradas confiáveis pela população", assinala Luciana.

Já a confiança nos partidos políticos despencou de 21% para 8% no mesmo período de eleições, mantendo-se em última posição na escala. Apenas 33% disseram que o Judiciário é confiável. O Congresso ficou com 20%. As outras instituições obtiveram os seguintes resultados: Grandes Empresas (44%), governo federal (41%), emissoras de TV (44%) e imprensa escrita (41%). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Aniversário da SSVP de Portugal

No último dia 31 de outubro, realizou-se a comemoração dos 151 anos da primeira Conferência Vicentina portuguesa, sendo anfitriã, este ano, a Conferência de N. Sra. da Consolação, em Agualva – Sintra. O programa iniciou-se com Missa, presidida por Dom Carlos Azevedo, Presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social, com a presença da primeira-dama, Maria Cavaco Silva. A Sociedade de São Vicente de Paulo, fundada em 1833, em Paris, tem como estruturas-base as Conferências de São Vicente de Paulo ou Conferências Vicentinas. É um Movimento Católico de Leigos que, apoiado nos princípios da Justiça, da Solidariedade e da Caridade, se dedica à realização de iniciativas destinadas a aliviar o sofrimento do próximo, em particular dos que, social e economicamente, se encontram mais desfavorecidos e mais carentes. Em Portugal, a primeira Conferência foi fundada em Lisboa em 31 de outubro de 1859. “Todos os anos, em Paróquias onde existem Conferências Vicentinas, este aniversário é celebrado, não só como homenagem aos seus fundadores, mas também para sensibilizar a opinião pública para a necessidade de cada cidadão se disponibilizar, na medida das suas possibilidades, a ajudar os outros”, diz o comunicado do Conselho Nacional. Fonte: Agência Ecclesia (Portugal)

Dirigentes Vicentinos Sul-americanos têm Mandatos Renovados


O Conselho Geral Internacional (CGI) da SSVP informou que os Mandatos dos confrades Renato Lima de Oliveira (Vice-presidente Territorial Internacional América 3 – América do Sul), Régulo Valenzuela Matte (Coordenador da Zona 1 – Chile, Colômbia, Equador, Bolívia e Peru) e Júlio César Marques de Lima (Coordenador da Zona 2 – Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai e Venezuela) foram renovados até 31 de dezembro de 2012, ou seja, por mais dois anos. Todas as funções de serviço no âmbito do CGI são renovadas a cada biênio. A agenda da Vice-presidência Territorial América 3 para 2011 prevê visitas à Venezuela e Colômbia, envio de jovens às Jornadas da Juventude em Madri (Espanha), promoção de um evento para os oito países que falam a Língua Portuguesa, e o desenvolvimento dos projetos idealizados pela Vice-presidência, como o “Conselhos Irmãos”, o “Mobilidade Juvenil”, o “Conferências de Fronteiras”, entre outros. Fonte: Edição nº 455 do Portal REDE DE CARIDADE

Portal \'Rede de Caridade\' muda de endereço



Desde o início do mês, o Portal da Agência de Notícias \"Rede de Caridade\" está com novo endereço. Pedimos que essa notícia seja publicada nos Sites Vicentinos de todo o Brasil. Agora, para acessar ao Portal, basta clicar www.rededecaridade.com Atenção: não precisa colocar BR ao final. No próximo dia 22 de novembro, o Portal comemora nove anos no ar. Criado em 22 de novembro de 2001 pelo Jornalista Vicentino Renato Lima de Oliveira, atual Vice-presidente Territorial Internacional para a América do Sul, este Site de Comunicação conta com a ação efetiva e eficiente da consócia Marileide Araújo, do confrade Carlos Vidal e do confrade Rudson Rodrigues. Nesses anos, o site também teve o apoio dos confrades Gesiel Júnior, Sérgio Alexandre e da consócia Mônica Dutra, que ajudaram muito na produção das dezenas de notas semanais. O Portal é citado em diversos Meios de Comunicação Vicentinos e esta é uma de suas funções: ser útil à comunicação da SSVP. Contatos: renatolima1970@uol.com.br Fonte: Edição nº 455 do Portal REDE DE CARIDADE

Conselho Geral Internacional está no Twitter



A partir de hoje, o Conselho Geral Internacional da Sociedade de São Vicente de Paulo (CGI/SSVP) disponibiliza duas contas no Twitter, uma mídia social que permite a troca de mensagens entre pessoas do mundo inteiro. Inicialmente, os textos - com no máximo 140 carecteres - serão postados em inglês e espanhol.

Com esta iniciativa, o CGI visa promover mais interatividade entre os Conselhos, Conferências, vicentinos e todos aqueles que têm carinho pela SSVP.

As contas do twitter são: http://twitter.com/@SSVP_CGI (versão em inglês) e http://twitter.com/@SSVP_CGIspanish (versão em espanhol).

FONTE: da redação do SSVPBRASIL, com dados do CGI

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Arcebispo do Rio de Janeiro visita Sociedade São Vicente de Paulo


Na noite da última quinta-feira, 11 de novembro, o Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, presidiu a Celebração Eucarística em visita à Capela Menino Deus — sede do Conselho Nacional da Sociedade São Vicente de Paulo. Cerca de cem pessoas lotaram o pequeno espaço. Concelebraram o Vigário Episcopal Urbano, Padre José Laudares de Ávila; o Pároco de Santo Antônio dos Pobres, Padre Sérgio Marcos Sá Ferreira; o Pároco Emérito, de Santo Antônio dos Pobres, Abdias Lopes da Silva e também o assessor espiritual do Conselho Nacional do Brasil, padre Alexandre Nahhas.
Durante a homilia, Dom Orani falou sobre a importância da Capela e da Sede Nacional dos Vicentinos. Alertou sobre a necessidade de Evangelização e destacou a importância de, numa pequena capela como aquela, a comunidade expressar seus dons, numa diversidade de funções que comuniquem o acontecimento do Evangelho.

"A Palavra de Deus muda as coisas", enfatizou o Arcebispo.

Dom Orani lembrou ainda que no dia 11 de novembro é celebrado o Dia de São Martinho, que assim como São Vicente, utilizou a caridade como oportunidade para a divulgação do Evangelho.
Ariel Carvalho
Fonte: SSVPBRASIL com foto do blog 'Capela do Menino Deus'

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Diretoria e Conselho Fiscal tomam posse


A nova diretoria e Conselho Fiscal da Creche São Vicente de Paulo de Votorantim tomou posse na noite do dia 12 de Novembro. A Cerimônia de posse contou com a presença do Presidente do Conselho Central de Votorantim Confrade Roberto de Lara Melo, do Diácono Wilson de Almeida Lopes da Paróquia São João Batista e Imaculada Conceição, de visitantes e funcionários. A nova diretoria que administrará a instituição no próximo biênio (2011/2012), ficou assim constituída:

Diretoria:
Presidente: Maria de Lourdes Santos Pinto
Vice Presidente: Andréia Aparecida de Oliveira Almeida
Secretário: Silvio Cardoso de Oliveira
Tesoureiro: Denilson Benedito de Oliveira

Conselho Fiscal:
Titulares:
Aristides Ferreira
Jomar Teles Procópio
Nilton Pereira do Nascimento


Suplentes:
Silmara Rosino Rodrigues de Oliveira
Nilson Américo de Oliveira
Irani dos Santos Nascimento

sábado, 13 de novembro de 2010

2º Congresso Técnico do Conselho Metropolitano de Jundiaí


Sobre a Coordenação do Confrade Claudio Stucchi, o Departamento de Normatização e Orientação -DENOR do Conselho Metropolitano de Jundiaí promoveu no dia 06 de Novembro nas dependências do Centro Esportivo e Espiritual Beato Antonio Frederico Ozanam em Jundiaí o 2º Congresso Técnico para as Obras Unidas. Cerca de 70 pessoas entre Presidentes, Secretários e Membros do Conselho Fiscal representando 15 Obras Unidas participaram do evento que abordou os seguintes assuntos:
 Nova Lei da Filantropia e sua Regulamentação;
 Novos Procedimentos para Atas e Controle Interno;
 Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade;
 O que todo Secretário deve saber;
 Construção dos Regimentos Internos;
 Nova Tipificação para Estatutos, Planos de Trabalho e Relatórios de Atividades;
 Procedimentos sobre os 30% que cabem ao idoso residente;
 Formação para membros do Conselho Fiscal;
 O olhar do Ministério Público para as Entidades Beneficentes.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Nota de Esclarecimento

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A CRECHE SÃO VICENTE DE PAULO DE VOTORANTIM, associação de direito privado, beneficente, sem fins lucrativos, de assistência social e de educação, inscrita no CNPJ sob o nº 50.822.410/0001-96, administrada pelos Vicentinos, COMUNICA que não autoriza e jamais autorizou nenhuma pessoa jurídica ou pessoa física a receber doações de colaboradores e nem a emitir recibos em seu nome. COMUNICA ainda à população que todas as doações (em dinheiro) a esta CRECHE são solicitadas através de contato telefônico pela Equipe de Telemarketing, que posteriormente envia um mensageiro da instituição e com identificação até a residência do colaborador para receber os donativos, mediante entrega de recibo oficial da CRECHE. Em caso de dúvidas o colaborador poderá entrar em contato com a CRECHE, através dos números 3243-5539/3243-6371/3247-5605/3247-3824.

A Presidência

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Morre ex-presidente do Conselho Geral Internacional

Por volta das 10h30 de hoje - horário de Paris - foi enterrado o ex-presidente do Conselho Geral Internacional da Sociedade de São Vicente de Paulo (CGI/SSVP), Joseph Rouast. Ele ficou no cargo da presidência internacional entre 1975 a 1981. O enterro ocorreu em Paris, na paróquia São Francisco Chavier.
Joseph Rouast nasceu em 1923, era casado e tinha três filhas.
Ele era muito ativo nas Conferências Vicentinas de Jovens e sempre permaneceu fiel a este ideal. No CGI, sucedeu o presidente Henri Jacob e precedeu Amin de Tarrazi.
O SSVPBRASIL transmite as sinceras condolências à família de Jouseph Rouast.

FONTE: da redação do SSVPBRASIL, com dados do SSVPGLOBAL

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Resultado da 35a Revoada Vicentina de Votorantim


A 35a Revoada Vicentina realizada pelos 03 Conselhos Particulares de Votorantim superou a marca dos dez mil reais. Do arrecadado 90% será destinado as Conferências Vicentinas do Município que atendem a cerca de 200 Famílias e 10% ao Conselho Central de Votorantim. O Evento ocorre tradionalmente no mês de Setembro de cada ano. Acompanhe abaixo o resumo do arrecadado:

Conselho Particular São João Batista - R$ 2.176,00
Conselho Particular Nossa Senhora Rainha da Paz -R$ 4.750,00
Conselho Particular São Mateus -R$ 4.460,00
Total: R$ 11.386,00

Com informações do CC de Votorantim

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Doutrina Social da Igreja deve ser referência essencial para leigos



A Doutrina Social da Igreja representa “a referência essencial” para os fiéis leigos empenhados na sociedade e na política, ressalta o Papa Bento XVI em uma mensagem destinada ao Presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz, Cardeal Peter Kodwo Appalah.

O texto foi enviado por ocasião da Assembleia Plenária do dicastério vaticano, que começou na segunda-feira, 1º, e termina nesta sexta-feira, 5, em Roma, Itália.

O Pontífice salienta que a questão social está sempre mais interconectada nos seus variados âmbitos. Nesse sentido, aparece, de particular urgência, o compromisso da formação dos leigos católicos na Doutrina Social da Igreja. “De fato, é próprio dos fiéis leigos o dever imediato de trabalhar para uma ordem social justa”, ressalta.

O Santo Padre destaca também que os cidadãos livres e responsáveis devem se empenhar para promover uma correta configuração da vida social, no respeito da legítima autonomia da realidade terrena. “A doutrina social da Igreja representa assim a referência essencial para o planejamento e ação dos fiéis leigos, bem como para uma espiritualidade vivida, que se nutra e se enquadre na comunhão eclesial: comunhão de amor e de verdade, comunhão na missão”.

Bento XVI salientou, sobre os pontos mais importantes da doutrina social, a defesa da vida humana e a liberdade religiosa. “É de fundamental importância uma compreensão profunda da doutrina social da Igreja, em harmonia com todo o seu patrimônio teológico e fortemente enraizada na afirmação da dignidade transcendente do homem, na defesa da vida humana desde a sua concepção até a morte natural e da liberdade religiosa”, elucidou.

Dessa forma, segundo o Papa, a doutrina ajuda “a vislumbrar a riqueza da sabedoria que vem da experiência de comunhão com o Espírito de Deus e de Cristo e da acolhida sincera do Evangelho”. O Santo Padre ressaltou ainda que somente com a caridade, sustentada pela esperança e iluminada pela fé e pela razão, é possível conseguir objetivos de libertação integral do homem e de justiça universal.


Mensagem do Papa - Assembleia Plenária do Conselho Justiça e Paz

(tradução de Leonardo Meira - equipe CN Notícias)

Ao Venerado Irmão
o Cardeal PETER KODWO APPIAH TURKSON
Presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz

1. Por ocasião da Assembleia Plenária, desejo, antes de tudo, agradecer ao Dicastério pelos seus múltiplos empenhos em ajudar toda a Igreja, particularmente esta Sé Apostólica, em uma renovada evangelização do social, nos inícios do terceiro milênio. Não somente os indivíduos, mas os povos e a grande família humana esperam – diante de injustiças e fortes desigualdades – palavras de esperança, cheias de vida, a indicação d'Aquele que pode salvar a humanidade dos seus males radicais.

2. Como recordava na minha Encíclica Caritas in veritate – seguindo os passos do Servo de Deus Paulo VI – o anúncio de Jesus Cristo é "o primeiro e principal fator de desenvolvimento" (n. 8). Graças a esse, de fato, pode-se caminhar sobre a estrada do crescimento humano integral com o ardor da caridade e a sabedoria da verdade em um mundo que, muitas vezes, a mentira insidia o homem, a sociedade, a partilha. É vivendo a "caridade na verdade" que podemos oferecer um olhar mais profundo para compreender as grandes questões sociais e indicar algumas perspectivas essenciais para as suas soluções em sentido plenamente humano. Somente com a caridade, sustentada pela esperança e iluminada pela fé e pela razão, é possível conseguir objetivos de libertação integral do homem e de justiça universal. A vida da comunidade e dos fiéis em particular, alimentada pela assídua meditação da Palavra de Deus, da regular participação nos Sacramentos e da comunhão com a Sabedoria que vem do alto, cresce na sua capacidade de profecia e de renovação das culturas e das instituições públicas. Os ethos dos povos podem assim gozar de um fundamento verdadeiramente sólido, que reforça o consenso social e as regras de conduta. O empenho de construção da cidade repousa sobre consciências guiadas pelo amor a Deus e, por isso, naturalmente orientadas rumo ao objetivo de uma vida boa, estruturada sobre o primado da transcendência. "Caritas in veritate in re sociali": assim me pareceu oportuno descrever a doutrina social da Igreja (cf. ibid., n. 5), segundo a sua raiz mais autêntica – Jesus Cristo, a vida trinitária que Ele nos dá – e segundo toda a sua força capaz de transfigurar a realidade. Temos necessidade desse ensinamento social, para ajudar a nossa civilização e a nossa própria razão humana a colher toda a complexidade do real e a grandeza da dignidade de toda a pessoa. O Compêndio da doutrina social da Igreja ajuda, exatamente neste sentido, a vislumbrar a riqueza da sabedoria que vem da experiência de comunhão com o Espírito de Deus e de Cristo e da acolhida sincera do Evangelho.

3. Na Encíclica Caritas in veritate acenei para problemas fundamentais que tocam o destino dos povos e das instituições mundiais, bem como da família humana. O próximo aniversário da Encíclica Mater et magistra, do Beato João XXIII, solicita-nos a considerar com constante atenção os desequilíbrios sociais, setoriais, nacionais, aqueles entre recursos e populações pobres, entre técnica e ética. No atual contexto de globalização, tais desequilíbrios não faltam. Mudam os sujeitos, as dimensões das problemáticas, mas a coordenação entre os Estados – frequentemente inadequada, porque orientada à busca de um equilíbrio de poder, mais que de solidariedade – abre espaço a renovadas desigualdades, ao perigo do predomínio de grupos econômicos e financeiros que detêm – e buscam continuar a fazê-lo – a agenda da política, em prejuízo do bem comum universal.

4. Com relação a uma questão social sempre mais interconectada nos seus variados âmbitos, aparece de particular urgência o compromisso na formação do laicato católico na doutrina social da Igreja. De fato, é próprio dos fiéis leigos o dever imediato de trabalhar para uma ordem social justa. Esses, enquanto cidadãos livres e responsáveis, devem comprometer-se para promover uma reta configuração da vida social, no respeito da legítima autonomia das realidades terrenas. A doutrina social da Igreja represente assim a referência essencial para o planejamento e ação dos fiéis leigos, bem como para uma espiritualidade vivida, que se nutra e se enquadre na comunhão eclesial: comunhão de amor e de verdade, comunhão na missão.

5. Os christifideles leigos, no entanto, exatamente porque portam energias e inspiração da comunhão com Jesus Cristo, vivendo integrados com os outros componentes eclesiais, devem encontrar ao seu lado sacerdotes e Bispos capazes de oferecer uma inestancável obra de purificação das consciências, juntamente com um indispensável sustento e auxílio espiritual ao coerente testemunho laical no social. Por isso, é de fundamental importância uma compreensão profunda da doutrina social da Igreja, em harmonia com todo o seu patrimônio teológico e fortemente enraizada na afirmação da dignidade transcendente do homem, na defesa da vida humana desde a sua concepção até a morte natural e da liberdade religiosa. Assim compreendida, a doutrina social deve estar inserida também na preocupação pastoral e cultural daqueles que, na comunidade eclesial, são chamados ao sacerdócio. É necessário preparar fiéis leigos capazes de dedicar-se ao bem comum, especialmente nos âmbitos mais complexos, como o mundo da política, mas é urgente também ter Pastores que, com o seu ministério e carisma, saibam contribuir com a animação e a irradiação, na sociedade e nas instituições, de uma vida boa segundo o Evangelho, no respeito da liberdade responsável dos fiéis e do seu papel de pastores, que, nesse âmbito, têm uma responsabilidade mediata. A já citada Mater et magistra propunha, há cerca de 50 anos, uma verdadeira e própria mobilização, segundo a caridade e a verdade, por parte de todas as associações, movimentos, organizações católicas e de inspiração cristã, a fim de que todos os fiéis, com empenho, liberdade e responsabilidade, estudassem, difundissem e implementassem a Doutrina Social da Igreja.

6. O meu desejo, portanto, é que o Pontifício Conselho Justiça e Paz continue na sua obra de auxílio à comunidade eclesial e todos os seus componentes. O Dicastério continue, portanto, essa obra não somente na elaboração de sempre novas atualizações da doutrina social da Igreja, mas também na sua experimentação, com aquele método de discernimento que indiquei na Caritas in veritate, segundo o qual, vivendo na comunhão de Jesus Cristo e entre nós, somos "encontrados" seja pela Verdade da salvação, seja pela verdade de um mundo que não foi criado por nós, mas dado a todos como casa de partilha na fraternidade. Com o objetivo de globalizar a doutrina social da Igreja, parece oportuno que cresçam Centros e Institutos para o estudo, difusão e atualização dessa em todo o mundo.

7. Após a promulgação do Compêndio e da Encíclica Caritas in veritate, é natural que o Pontifício Conselho Justiça e Paz esteja dedicado ao aprofundamento dos elementos de novidade e, em colaboração com outros sujeitos, na busca dos caminhos mais adequados para a veiculação dos conteúdos da doutrina social, não somente nos tradicionais itinerários formativos e educativos cristãos de toda a ordem e nível, mas também nos grandes centros de formação do pensamento mundial – entre os quais os grandes órgãos de imprensa laica, as universidades e os numerosos centros de reflexão econômica e social – que, nos últimos tempo, desenvolveram-se em todas as partes do mundo.

8. A Virgem Maria, honrada pelo povo cristão como Speculum iustitiae e Regina pacis, proteja-nos e obtenha com a sua celeste intercessão a força, a esperança e a alegria necessárias para que continuemos a dedicar-nos com generosidade à realização de uma nova evangelização do social.

Ao expressar ainda mais uma vez o meu agradecimento pelo trabalho que desenvolve o Dicastério em todos os seus componentes, desejo um frutuoso trabalho e de bom grado concedo a Bênção Apostólica.

Dado no Vaticano, aos 3 de novembro de 2010.


Fonte: Canção Nova Notícias

Mulher usa nome de entidade para vender panelas

Uma mulher ainda não identificada está utilizando indevidamente o nome do Lar São Vicente de Paulo para convencer funcionários e comerciantes da região central da cidade a comprar panelas. O golpe vem sendo aplicado há pelo menos três meses e foi descoberto ao acaso pelo presidente da instituição, José Carlos de Moraes, em contato com três vítimas.

Moraes conta que em setembro passado se surpreendeu quando o funcionário de um estacionamento do Centro comentou que havia comprado panelas da entidade. O comprador relatou que a venda foi feita por uma senhora cuja aparência não se lembrava. Na apresentação, a falsária se disse voluntária do asilo, lhe ofereceu panelas e argumentou que o dinheiro arrecadado com as vendas seria revertido para a aquisição de fraldas e alimentos aos idosos abrigados pela entidade. Ainda havia uma promoção para quem comprasse uma dúzia de panelas. O fato é que o Lar nunca fez esse tipo de trabalho, ressaltou o presidente. Há cerca de 15 dias Moraes foi novamente abordado, desta vez por uma funcionária de uma loja de informática, que também comprou as tais panelas. Dois dias depois foi a vez da secretária de um escritório de advocacia. Ela me disse que comprou para ajudar, porque essa senhora citou o nome do Lar e comentou que passávamos por dificuldade para compra de remédios, lembra. Ainda de acordo com o dirigente, todos os casos ocorreram no comércio e escritórios do Centro.

Preocupada com o ocorrido, a diretoria do Lar São Vicente de Paulo pretende elaborar um boletim de ocorrência para registrar o fato. Para que outras pessoas não sejam enganadas e induzidas a acreditar que estão ajudando o Lar, o presidente faz um alerta e pede para que a polícia seja acionada pelo disque-denúncia (181) caso a mulher volte a agir. Ainda de acordo com o dirigente, a única campanha promovida pelo Lar São Vicente de Paulo que envia voluntários às ruas para arrecadar donativos é a Revoada Vicentina, realizada há 37 anos em Sorocaba. Durante a iniciativa, que ocorre todos os meses de setembro, voluntários selecionados se apresentam nos bairros, devidamente identificados com crachá da campanha e RG, para deixar envelopes timbrados que posteriormente são recolhidos.

Além de abrigar idosos o Lar fornece apoio para famílias carentes e aceita doações durante o ano todo. Informações sobre como ajudar podem ser obtidas pelo telefone (15) 3231-9819.
Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

CNB já recebe pedidos de agendas para 2011


Quer um produto com a cara da Sociedade de São Vicente de Paulo? Então, você não pode ficar sem a agenda personalizada para 2011, disponível em dois modelos: um mais tradicional, voltado para os vicentinos que compactuam deste estilo; e o outro mais moderno, com design inovador. Qualquer um dos modelos custa R$17 (a taxa de remessa está inclusa).

Os pedidos já podem ser feitos no CNB. A distribuição deve começar no próximo dia 17 de novembro.

Para pedir a agenda, basta selecionar quantidade desejada e fazer depósito correspondente na conta do Banco do Brasil- Agência 1251-3- c/c: 103.024-8, nominal ao Conselho Nacional do Brasil. Em seguida, enviar por fax ou Correio o comprovante de depósito, mais lista de pedidos. Endereço do Conselho Nacional - Rua do Riachuelo, 75, Centro, Rio de Janeiro- RJ- Cep: 20230-010

A agenda tradicional tem capa de sintético similar a couro e está disponível na cor grafite. A moderna é em espiral, capa dura e feita de materiais recicláveis, dentro do princípio da dustentabilidade.

FONTE: da redação do SSVPBRASIL

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Juventude Marial Vicentina, 25 anos fazendo a história...


Muita reza, muita luta, muita festa, em marcha contra a violência!

Coisa linda é ver o rosto das juventudes, dinamismo vivificante do Reino e da Igreja, proclamar em versos, melodias, cores e atitudes que a vida tem valor supremo e que é missão de todos cuidá-la, preservá-la, defendê-la. Este foi o testemunho do DNJ – Dia Nacional da Juventude - 2010: jovens de diversas expressões pastorais e culturais, reunidos para celebrar o sonho de Deus pulsante em suas vidas, resgatando a memória de 25 anos de história, e proclamando em alto e bom som, seu grito contra a realidade de violência que vitima tantos irmãos e irmãs. Iniciativa das Pastorais da Juventude em colaboração com o Setor Juventude da Arquidiocese, o DNJ foi proclamação de uma urgência: mais do que nunca, a juventude quer viver!
“A juventude quer viver!” – esse foi o grito que ecoou durante o dia 23/10 pelo centro de Curitiba. Iniciamos com uma concentração em frente à Catedral Basílica logo cedo; a Celebração Eucarística presidida por Dom Moacyr foi um momento ímpar do encontro. Alimentados pela Palavra e pela Eucaristia, saímos em missão pelas ruas do centro: abordagem missionária, rodas de viola, teatros ao ar livre, espaço da memória, abraços grátis, enfim, diversas expressões juvenis e uma finalidade comum de levantar a voz em favor da vida. Pela Via-Sacra dinamizada em 5 estações, fizemos memória da paixão de Cristo que continua acontecendo na vida de muitos jovens, vítimas de inúmeras formas de violência. Nosso foco, porém, não foi a morte, mas o mistério da ressurreição de Cristo que se renova na vida das juventudes que, unidas e reunidas, buscam construir um novo céu e uma nova terra. Rezamos, cantamos, celebramos, festejamos! Enquanto Família Vicentina, marcamos presença através dos três grupos da Juventude Marial de Curitiba - Abranches, Almirante Tamandaré e Mercês – e das Filhas da Caridade.
Deus nos fala pela boca de seus filhos mais jovens. Que Deus continue guiando nossos passos, despertando nossos corações e nossa ação para uma aproximação afetiva e efetiva das juventudes. Continuemos! É juntos que experimentamos a certeza do Reino de Deus presente entre nós! (cf Lc 17, 21b).

Irmã Raquel de Fátima Colet, FC

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Vicentinos de Votorantim e Piedade fazem Coleta no dia de Finados


Os Vicentinos das Cidades de Votorantim e Piedade estarão realizando no próximo dia 02 de Novembro, dia de finados, uma Coleta nas Portas dos Cemitérios das Cidades. O Trabalho que já é tradição nos Municipios consiste na arrecadação de doações em dinheiro por parte dos Vicentinos e voluntários em Prol das Familias Assistidas pelas Conferências Vicentinas e Obras Unidas como o Lar São Vicente de Paulo de Piedade.
Em Piedade além da Coleta os Vicentinos mantém a tradição da Venda de Guarapá de Caná a população.


Acompanhe abaixo a programação das Missas de Finados no Cemitério São João Batista de Votorantim

07:00 Paróquia N. Sra. Do Carmo
09:00 Paróquia S. João Batista e Imaculada Conceição
11:00 Paróquia N. Sra. Aparecida
14:00 Paróquia N. Sra. Consolata
16:00 Paróquia São José