Páginas

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Encerramento do Ano Jubilar no Chile


Com uma participação maciça dos fiéis pertencentes a vários ramos da Família Vicentina , especialmente Santiago e Valparaíso , foi realizada nesta sábado, 25 de setembro , a missa com a Família Vicentina no Chile , fechou as comemorações do 350 º aniversário a morte de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac.
A missa foi realizada no Cerro San Cristóbal de la Capital , ao pé da estátua da Imaculada Conceição e foi presidido pelo Inspector da Província, p. Fernando Macías , e concelebrada por vários missionários da Província , trabalhando em Santiago e Valparaíso. Esse lugar é a meta de peregrinações freqüentes para vários grupos religiosos, especialmente os jovens. E, como apontado por p. Fernando em sua homilia , antes mesmo da chegada dos espanhóis no Chile, foi considerado um lugar de encontro com o divino. Daí o seu mapudungun nome original de " Tupahue ", que significa "Lugar de Deus ". Em 1987, durante sua visita ao Chile , o Papa João Paulo II veio a este lugar , onde abençoou a cidade de Santiago.

O grande número de membros da Família Vicentina que foi para o Cerro San Cristóbal, meio dia de sábado , uma extensão teve que caminhar cerca de três milhas a subir até chegar ao local da festa, como as autoridades excluídas do acesso ônibus para o local. No entanto, ninguém caiu e foi com grande esforço, adultos , jovens e crianças , mas também um bom número de adultos mais velhos.

Antes da missa , um grupo de alguns dos colégios da Sociedade de São Vicente de Paulo , o meio ambiente com sua música , a chegada da comemoração peregrinos.La era muito colorido e festivo participativa. Havia vários sinais , dança , oferecendo muito significativo música , poderoso e inspirador, uma homilia dinâmico , profundo e educacional.

Assim , o tributo da Família Vicentina no Chile para duas grandes figuras que inspiram sua vida e trabalho na Igreja e no mundo, comemora seu nascimento Páscoa para o Céu , que ocorreu há 350 anos atrás . A celebração foi marcada por uma ação de graças a Deus por estes dois santos, pelo seu carisma, herdada por nós e pelo compromisso de continuar aquii -hoje- com a missão que começou em França, três séculos e meio atrás.

Fonte: Familia Vicentina Internacional

Padre Robert fala do Projeto Vicentino Zafen

“Meus queridos irmãos e irmãs. A Família Vicentina Internacional decidiu empregar todos os empréstimos acima de U$ 25.000 em Zafèn, nosso novo programa de microcrédito on-line para o Haiti, na semana de festa de São Vicente (27 de setembro - 3 de outubro). Estou escrevendo para pedir-lhe para compartilhar a seguinte nota com todos os membros do seu Ramo da Família para alertá-los para esta oportunidade e favorecer a sua participação. Obrigado por toda sua ajuda na divulgação das notícias do Zafèn desde que foi lançado em abril. Ainda não tivemos tanto apoio como esperávamos de indivíduos e grupos na família e na diáspora haitiana em todo o mundo e espero que este Programa correspondente irá introduzir novos usuários para o site em Zafen.org Eu aprecio sua ajuda e estarei escrevendo para você em outubro e partilhar uma atualização do sucesso da Zafèn como ele marca o aniversário de seis meses. Atenciosamente, Rev. Robert Maloney, C.M., Presidente, Família Vicentina Board para o Projeto do Haiti”. Visite: https://www.zafen.org

Conselho Geral Internacional empossa Michael Thio



Com 64 anos de idade, sendo 42 dedicados ao vicentinismo, este é o perfil do Novo Presidente do Conselho Geral Internacional (CGI), Michael Thio (foto), eleito em Assembleia realizada na cidade de Salamanca (Espanha) em maio passado e que toma posse agora em 27 de setembro, em Paris. O Presidente eleito obteve 87 dos 100 votos válidos. Nascido em 1945, Michael Thio entrou para a Sociedade de São Vicente de Paulo no ano de 1967. Foi Secretário e, logo depois, Presidente de Conferência, Conselho Particular e do Conselho Nacional de Cingapura. Entrou no Conselho Geral Internacional em 1988 na função de Coordenador, depois, passou aos cargos de Vice-presidente Territorial Internacional para a Ásia e Oceania; Vice-presidente Geral Adjunto para Estrutura e Vice-presidente Geral até junho do ano passado. Também é Presidente da Comissão Técnica Territorial desde 2005. Dentre suas metas de trabalho para o mandato de seis anos, encontramos: reforçar a internacionalização da SSVP, empreender uma iniciativa de marketing e comunicação, recrutar mais membros, ampliar o Projeto “Mudança Sistêmica”, formação e boa relação com a Igreja. Fonte: Edição nº 448 da Agência de Notícias REDE DE CARIDADE

Vicentinas doam enxovais há 30 anos


Há 30 anos, mães carentes, que têm seus bebês na Santa Casa de Piracicaba (SP), contam com uma ajuda fundamental para os primeiros dias da maternidade. O auxílio vem da dedicação de um grupo de 32 mulheres, Vicentinas (consócias), que cortam, costuram e montam enxovais infantis. A csc. Adair Rainha, Presidente da Conferência, conta que a proposta inicial era visitar os doentes das famílias assistidas pelos Vicentinos. Acabaram observando a carência das mães cujos nenéns nasciam no hospital e mudaram o foco. Aos poucos e com a contribuição de muita gente, ganharam máquinas de costura, materiais e ampliaram a mão-de-obra voluntária, que não é composta apenas de católicas. Em um espaço cedido pela Santa Casa, o trabalho é desenvolvido sem contar com nenhuma verba. “Pelo contrário, as voluntárias é que pagam para trabalhar, algumas até compram materiais”, destacou a csc. Amabile Filleti, Vice-presidente da Conferência. Uma vez por semana, nas tardes de quartas-feiras, elas se reúnem numa sala ampla, clara e agradável para exercer o trabalho de “formiguinhas”. Geralmente o enxoval é composto por cobertor, manta de lã, toalha de banho, fraldas de tecido, calças plásticas, casaquinhos, pijama, macacão e sapatinhos de crochê. Muitas mães recebem ainda kits de higiene pessoal, pois não podem comprar esses itens. Fonte: Gazeta de Piracicaba (SP)

Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais divulga tema do Dia Mundial das Comunicações 2011

O Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais do Vaticano, divulgou hoje (29) o tema para o 45º Dia Mundial das Comunicações 2011.
‘Verdade, anúncio e autenticidade da vida na era digital’, foi escolhido pelo papa Bento XVI, que deve divulgar o texto completo da mensagem no dia 24 de janeiro de 2011, na festa de São Francisco de Sales, patrono dos jornalistas.
Segundo o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, em seu comunicado oficial à imprensa, a comunicação deve ser entendida e centrada na pessoa humana que está no coração de todos os processos comunicativos.
“Mesmo em uma era que é amplamente dominada e, por vezes condicionadas, pelas novas tecnologias, o valor do testemunho pessoal continua a ser essencial”, descreve o comunicado.
O Pontifício Conselho pede que haja critérios baseados na verdade, principalmente pelos jornalistas católicos.
“Para abordar a verdade e assumir a tarefa de compartilhar isso exige a ‘garantia’ de uma autenticidade de vida daqueles que trabalham na mídia, e especialmente dos jornalistas católicos, uma autenticidade de vida que não é menos necessária na era digital”.
Finalizando, o Pontifício Conselho pede a credibilidade na pessoa humana e não nas tecnologias.
“A tecnologia, por si só, não pode estabelecer ou reforçar a credibilidade do comunicador, nem pode servir como uma fonte de valores que guia a comunicação. A verdade deve permanecer em um ponto firme e imutável de referência das novas mídias e o mundo digital, abrindo novos horizontes de informação e conhecimento”.
Fonte: A12.com.br

Igreja forma frente de reconstrução religiosa do Haiti

Um encontro em Miami, Estados Unidos, entre bispos do Haiti, episcopados de vários países e instituições financeiras, abordou a reconstrução religiosa do país caribenho. Um acordo que estabelece formalmente um órgão consultivo internacional responsável pela avaliação e construção de cerca de 70 igrejas destruídas pelo terremoto foi assinado durante a reunião.

O Episcopado do Haiti será o condutor do projeto que terá a participação da Conferência dos Religiosos do Haiti, a Agência para a solidariedade na América Latina da Conferência Episcopal da Alemanha, o episcopado americano, o Catholic Relief Services e a Sociedade São Vicente de Paulo.

Segundo o jornal vaticano L'Osservatore Romano, a atenção será concentrada na avaliação e realização dos projetos enquanto o objetivo é envolver a população local, com a finalidade de que a mesma se torne independente das ajudas externas. “Também será possível aos doadores acompanhar em detalhes o progresso feito na reconstrução”, disse o Núncio Apostólico no Haiti, dom Bernard C. Auza, “mas, apesar dos 33 milhões de dólares recolhidos, seriam necessários ulteriores fundos”. Sobre os projetos, que preveem a reconstrução de todas as estruturas religiosas, no entanto, ainda não foi aberto nenhum canteiro de obras.

Fonte: da redação do SSVPBRASIL

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Bento XVI ressalta exemplo de caridade de São Vicente de Paulo


Em sua despedida às autoridades civis e religiosas de Castel Gandolfo antes de voltar para Roma, o Papa Bento XVI propôs o exemplo de caridade e amor concretos de São Vicente de Paulo, quem mostra além como ser uma verdadeira luz para outros, especialmente para os mais pobres no corpo e o espírito.

O Papa saudou o Bispo de Albano, Dom Marcello Semeraro, e os sacerdotes e religiosos que o acompanhavam, e expressou sua gratidão ao prefeito de Castelgandolfo e à administração dessa localidade. Deste modo deu as graças aos diversos serviços da Governadoria Vaticana, ao Corpo de Delegacia e à Guarda Suíça, para finalizar com as Forças de Ordem Pública e a Aeronáutica Militar Italiana.

Seguidamente Bento XVI disse que "ao me despedir de vocês queria falar-lhes de São Vicente de Paulo, cuja memória litúrgica celebramos hoje. Este apóstolo da caridade, tão querido pelo povo cristão e conhecido sobre tudo pela ordem de religiosas que fundou, foi proclamado pelo Papa Leão XIII ‘Padroeiro universal de todas as obras de caridade no mundo’".

O Papa recordou que São Vicente, "com sua incessante ação apostólica, fez que o Evangelho fosse cada vez mais um farol luminoso de esperança e amor para as pessoas de sua época e, em especial, para os mais pobres no corpo e no espírito".

Finalmente fez votos para que "seu exemplo virtuoso e sua intercessão suscitem em suas comunidades e em cada um de vós um compromisso redobrado de solidariedade, para que o esforço de todos contribua ao bem comum".


Fonte: ACI Digital

Vicente de Paulo e Luísa de Marillac: modelos de caridade para hoje


Encerramento do Ano Vicentino em Roma

São Vicente Paulo e sua principal colaboradora, Santa Luísa de Marillac, "foram páginas do Evangelho vividas com intensidade".

Assim destacou o prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos, cardeal José Saraiva Martins, no dia 24 de setembro, na Missa celebrada na Sala do Augustinianum, em Roma, na inauguração do congresso sobre o tema "Caridade e Missão".

Os três dias do congresso, do qual participaram cerca de 500 pessoas, serviram para selar o ano jubilar convocado por ocasião dos 350 anos da morte dos fundadores da Família Vicentina.

"Foram dois grandes professores de caridade porque foram, em primeiro lugar, dois grandes professores de vida espiritual", disse o purpurado.

Depois destacou que "os carismas são um dom do Espírito Santo concedido para a comunidade cristã, para que tenha a valentia de evangelizar, ensinar e curar, mas sobretudo dando testemunho, amando".

"No século XVII - continuou -, para responder à fome de Deus, o Espírito Santo deu à luz São Vicente e a Santa Luísa, que se comprometeram na construção de uma nova sociedade baseada na solidariedade e caridade. Eles souberam envolver todos, os bem situados e os pobres, o rei e a rainha, jovens e velhos."

São Vicente de Paulo, nascido em 24 de abril de 1581 em Pouy, no sudoeste da França, deu vida às Damas da Caridade (depois Voluntariado Vicentino), à Congregação da Missão e às Filhas da Caridade, comprometidas nos hospitais e escolas.

A contribuição de Santa Luísa de Marillac foi fundamental na realização de sua obra. A santa nasceu em Paris, em 1591, pertencente a uma das famílias mais célebres da corte do rei da França.

Mulher e Mãe, Luísa começou a dedicar-se intensamente às obras de solidariedade após a morte de seu marido; em particular, foi ativa na Companhia das Damas da Caridade, sob a guia de São Vicente.

Segundo o cardeal Saraiva Martins, eles sentiam um amor pelos pobres "que não nasce de um sentimento paternalista" e "trabalharam com valentia, tendo intuições proféticas, vivendo seu compromisso como uma verdadeira e própria exigência da fé".

"A Igreja e o mundo necessitam de vossa obra", acrescentou, dirigindo-se à multidão de vicentinos presentes na sala Agustinianum. "A caridade vicentina - concluiu - não é rendição, mas resistência!"

No sábado, 25 de setembro, o prefeito da Congregação para os Institutos de vida consagrada e as Sociedades de vida apostólica, cardeal Franc Rodé, presidiu uma Missa na Basílica de São Pedro, em presença dos participantes no congresso "Caridade e missão".

Nela, o purpurado destacou o exemplo dos santos fundadores e afirmou que "a demanda de amor é tão insistente hoje como era no século XVII, se não for maior".

"Ser vicentino hoje - disse - significa seguir novamente Cristo, o evangelizador dos pobres, e sua missão; significa ser missionário, ‘inflamar' o coração dos homens com um estilo de vida simples, humilde, amável e cuidadoso."

Neste sentido, explicou, "um vicentino deve ter um grande amor e conhecimento dos pobres: o verdadeiro vicentino conhece Cristo, coloca-o no centro, conhece a São Vicente, Santa Luísa, os santos vicentinos e conhece também os pobres".

"Um vicentino se deixa evangelizar e mudar por eles, age e trabalha por eles - concluiu. Um vicentino é, em primeiro lugar, de Deus e está ao serviço de todos."

Fonte: Zenit

Encerramento do Ano Jubilar em Belo Horizonte

A Família Vicentina (Regional Belo Horizonte) encerrou as comemorações do Ano Jubilar, reunindo centenas de pessoas para a Manhã de Oração Comum. Depois da acolhida aos 9 Ramos que compõem o Regional e de uma reflexão orante sobre o contexto e a proposta da celebração dos 350 anos do nascimento para a Vida de São Vicente e de Santa Luísa, assistimos a uma bela e inspiradora encenação do grupo de teatro da Paróquia São José do Calafate. A encenação evidenciou, com arte e clareza, o encontro entre nossos Jubilares (incluindo o Padre Portail), suas buscas e inquietações e algumas de suas iniciativas missionárias e caritativas idealizadas e empreendidas em parceria. Ponto alto da Manhã de Oração foi a celebração da Santa Missa, presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, que se fez porta voz do reconhecimento e da gratidão de toda a Igreja pelo carisma suscitado nas pessoas de nossos fundadores e, por meio deles, estendido a todos nós que, impelidos pela Caridade, queremos ser peregrinos na Missão.

Bendizemos ao Senhor por todo bem realizado ao longo deste tempo de graça: pelo aprofundamento de nosso sentido de pertença à Família Vicentina, pelo estreitamento dos laços de fraternidade e cooperação entre os nossos Ramos, pelo renovado empenho na formação dos leigos e no fortalecimento de nossas bases, pelas tentativas de aplicação do projeto de Mudança de Estruturas. A despedida do Ano Jubilar assinala um novo começo. Nossas conquistas se convertem agora em novos desafios, que assumiremos, com a graça de Deus, em comunhão solidária com os pobres.
Fonte: Congregação da Missão

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O significado dos 350 anos da morte de São Vicente e Santa Luísa (1660-2010)

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres” [i].

A Família Vicentina em toda a Igreja tem a alegria de celebrar o Jubileu dos 350 anos da morte de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac (27 de setembro de 2009 a 27 de setembro de 2010). De fato, é uma data feliz porque é uma oportunidade de não somente fazer a memória dos santos fundadores, mas de rever os passos dados durante todos estes anos. A presente reflexão pretende abordar, brevemente, sobre algumas intuições do carisma vicentino que traduzem com perfeição e ousadia profética o significado deste Jubileu. Buscar o significado da morte dos fundadores da Família Vicentina significa retomar a centralidade do carisma, a fim de que o mesmo permaneça aceso na vida da Igreja e do mundo.

O carisma vicentino

Ninguém melhor do que São Vicente para falar claramente sobre o sentido verdadeiro do carisma. Aos Padres da Missão ele diz:

Fazer os pobres conhecerem a Deus, anunciando-lhes Jesus Cristo, dizer-lhes que
o reino dos céus já chegou e que este reino é para os pobres. Como isto é
grande! E que fomos chamados para ser companheiros e para participarmos dos
planos do Filho de Deus, é algo que supera nossa compreensão. Que! Fazermos...
não me atrevo a dizer sim; evangelizar os pobres é um serviço tão grande, que é
por excelência o ofício do Filho de Deus! Somos instrumentos para que o Filho de
Deus continue fazendo no céu o que fez na terra. Que grande motivo para louvar a
Deus, meus irmãos, e agradecer incessantemente esta graça.[ii]


Pontuemos alguns aspectos desta citação vicentina:

1) Fazer os pobres conhecerem a Deus, anunciando-lhes Jesus Cristo. Anunciar a pessoa de Jesus e seu Evangelho: eis a missão de todo cristão. Com isto, percebemos que São Vicente de Paulo era um homem sintonizado com o Evangelho e profundamente cristológico. Os seus escritos revelam que sua preocupação fundamental era o anúncio da Boa Notícia aos pobres. Era um homem preocupado com os pobres, a exemplo de Jesus. O santo fundador recorda à Igreja o anúncio do Evangelho aos pobres numa realidade em que estes eram praticamente esquecidos.[iii] Tendo em vista a evangelização dos pobres, São Vicente funda as confrarias da caridade (1617), a Congregação da Missão (1625) e a Companhia das Filhas da Caridade (1633). Estas Comunidades nasceram com destinação especial e fundamental: os pobres.

2) Dizer-lhes que o reino dos céus já chegou e que este reino é para os pobres. O Evangelho mostra claramente que Jesus veio a este mundo para inaugurar o Reino de Deus. Na citação de Lc 4, 18 encontramos as primeiras palavras de Jesus ao assumir publicamente a missão. O autêntico sentido do texto revela que o Ungido do Pai[iv] assegura que a Boa Notícia é para os pobres. Jesus faz tal proclamação porque sabia que os pobres sempre foram as maiores vítimas das opressões produzidas pelos sistemas que governaram e governam este mundo. É justamente por isso que a Igreja latino-americana tomou a iniciativa de tomar para si esta opção de Jesus: opção preferencial pelos pobres.[v]

3) Evangelizar os pobres é um ofício tão grande, que é por excelência o ofício do Filho de Deus. São Vicente nos ensina que ser missionário é participar da missão do Filho de Deus, ou seja, evangelizar. Evangelizar, segundo São Vicente, é servir aos pobres: “Não há melhor modo de assegurar nossa felicidade eterna do que viver e morrer no serviço dos pobres, nos braços da Providencia e numa verdadeira renúncia a nós mesmos em seguimento de Jesus Cristo".[vi] Este viver e morrer no serviço dos pobres, para São Vicente, significa evangelizar. Assim, não podemos entender evangelização fora do serviço dos pobres. Com mais ênfase podemos afirmar: Se não há serviço afetivo e efetivo aos pobres não há evangelização. O chamado de Deus é para que todos os batizados sejam continuadores da ação missionária de Jesus, participantes de sua missão.

Fidelidade ao carisma

Em Paris, França, entre os dias 18 de junho e 16 de julho do corrente ano, a Congregação da Missão celebrou a sua 41ª Assembléia Geral. Eis o que diz o Documento conclusivo:

Fidelidade a nosso carisma significa continuar o amor de Cristo e o serviço dos
Pobres. Os Pobres chegaram até nós, de modo impactante, através dos vídeos que
marcaram cada sessão. Os Pobres não são meras categorias, são pessoas reais, com
necessidades e sofrimentos reais. Falam-nos porque esperam que os escutemos, que
ouçamos suas histórias e não lhes viremos as costas. Nossa resposta irá além do
minuto de interiorização, da oração pessoal e das celebrações litúrgicas. Como
São Vicente, que contemplou o rosto de Cristo nos Pobres de seu tempo e procurou
remediar seus sofrimentos, também nós devemos ser suficientemente valentes para
partilhar sua pobreza. Movidos pelo amor, iremos aonde os Pobres nos chamarem,
inclusive aonde outros não se atrevem a ir, e sempre encontraremos formas
criativas para remediar as necessidades deles.[vii]


A humildade leva-nos ao reconhecimento da condição humana e suas inerentes fraquezas. Partindo desse pressuposto, é preciso admitir que há uma crise carismática em todas as famílias religiosas que formam a Igreja. Com muita facilidade e de maneira pecaminosa, os carismas dos fundadores são esquecidos e/ou relativizados em nome de algumas releituras e atitudes que se mostram cada vez mais equivocadas. Por outro lado, é preciso admitir, também, que há significativo esforço por parte de muitos membros das famílias religiosas para reacender ou ressuscitar tais carismas, tão necessários para a construção do Reino de Deus. Os carismas que visam tal construção são verdadeiros frutos da ação do Espírito Santo na vida de mulheres e homens que se deixaram conduzir pelo amor que se faz serviço gratuito e generoso ao próximo.

No caso da Família Vicentina, composta por dezenas de ramos chamados ao serviço fraterno dos pobres, trata-se de zelar por aquilo que diz a citação acima. Frisemos, pois, alguns pontos relevantes para nossa reflexão, a saber:

1) Fidelidade ao nosso carisma significa continuar o amor de Cristo e os serviço dos Pobres. Continua-se o amor de Cristo no serviço dos Pobres, ou seja, não podemos entender o amor de Cristo fora do serviço aos Pobres, pois Jesus não fez outra coisa em sua passagem no mundo senão servir os pobres.[viii] Nenhum ramo da Família Vicentina pode se deixar levar pela onda espiritualista que invadiu a Igreja de nossos dias, afastando-a do seguimento de Jesus de Nazaré. Os espiritualismos produzem superficialidade e alienação e é um mal constante na Igreja.[ix] Trata-se de uma alienação que distancia do serviço e da “vivência” de uma fé sem caridade. Sem esta, a Família Vicentina perde o seu sentido de existir na Igreja.

2) Como São Vicente, que contemplou o rosto de Cristo nos Pobres de seu tempo e procurou remediar seus sofrimentos, também nós devemos ser suficientemente valentes para partilhar sua pobreza. A conversão de São Vicente aconteceu no encontro com o pobre.[x] Para ele, o pobre foi o lugar de encontro com Cristo. Hoje, a própria Igreja resolveu tentar assumir o pobre como lugar teológico e declarou que a opção pelos pobres está implícita na fé cristológica[xi] da Igreja. Para que tal opção se torne afetiva e efetivamente presente na vida da Família Vicentina e na vida da Igreja é necessário que sejamos suficientemente valentes, ou seja, trata-se de uma opção de vida. Optar pelos pobres exige coragem e ousadia profética, pois é uma missão difícil, que exige sacrifícios e renúncias e, muitas vezes, a entrega total da própria vida.[xii]

Participar da pobreza dos pobres é um desafio imenso, pois o mundo demoniza a pobreza e a produz constantemente. São Vicente e Santa Luísa nos ensinam que participar da missão de Jesus é participar da vida dos pobres e esta participação consiste no despojamento total de nós mesmos para o seguimento de Jesus evangelizador dos Pobres. Em termos práticos significa abraçar um estilo de vida humilde e simples como o dos pobres; participar de suas lutas e esperanças; reivindicar, defender e promover seus direitos e sua dignidade; denunciar as injustiças que lhes são cometidas e celebrar o cotidiano desafiador de suas vidas. Isto significa colocar-se ao lado dos pobres e com estes trabalhar na construção do Reino, que é lutar por uma sociedade onde todos tenham vida plena.

Fidelidade ao carisma é não perder de vista a verdade incontestável de nossa opção preferencial pelos pobres. Neste sentido, há certa destinação exclusiva na missão, ou seja, somos chamados somente para o serviço dos pobres. Numa reflexão muito lúcida, atual e oportuna, o Pe. Getúlio Mota Grossi, C.M. prioriza esta questão.[xiii] Sinteticamente, podemos afirmar que a fidelidade ao carisma será mantida no serviço dos pobres. Se estes forem marginalizados na reflexão e na prática eclesial da Família Vicentina, o carisma, certamente, deixará de existir. Mas o Espírito do Senhor, que faz a missão acontecer, não permitirá que isto aconteça, pois o projeto de Deus ultrapassa os limites do homem e da história.

O que o Jubileu diz à Igreja

A Celebração da morte de São Vicente e Santa Luísa tem uma profunda mensagem para a Igreja. A leitura histórica da vida do santo e da santa remete-nos à caridade. Esta se encontra na centralidade da mensagem de Jesus: caridade que constrói o Reino.[xiv] O testemunho de São Vicente e Santa Luísa chama a atenção da Igreja para a caridade para com os pobres. Trata-se de um sério convite: reavivar a chama do amor que defende e promove a dignidade da pessoa humana. A caridade não vê o outro como objeto, alguém que não pode nem sabe de nada, mas vê-lo como filho amado de Deus que nasceu para viver e construir o bem. O carisma da caridade vem nos recordar o outro, lembra-nos que não somos uma ilha no mundo e que a fraternidade é uma exigência evangélica que se manifesta no seguimento de Jesus de Nazaré.

Diante de uma sociedade que cultiva nas pessoas o egoísmo, o competitivismo, o isolamento, o ódio, o preconceito, a intolerância e tantos outros sentimentos destrutivos, a Igreja precisa aprender a ser cada vez mais acolhedora e misericordiosa. A frieza no ser humano está se tornando tão presente e comum que quando encontramos pessoas dadas à caridade para com os que padecem os males da vida cotidiana, principalmente a fome, ficamos admirados com tais exemplos. O ser humano tornou-se tão perigoso que há pessoas que não conseguem ser caridosas com o próximo, pois têm medo da sua reação imediata. Isto leva ao individualismo e à superficialidade da fé, ou seja, as pessoas procuram viver, isoladamente, a sua fé assumindo atitudes anticomunitárias. Outras pessoas comportam-se assim porque julgam ser o caminho mais fácil.

O outro, segundo São Vicente e Santa Luísa, é o pobre. Este é empobrecido pelo sistema opressor vigente, que explora e mata, sistematicamente. Mais do que em outras épocas, os empobrecidos estão submetidos a sofrimentos cada vez mais desumanos. Assistimos a certa “sofisticação” da crueldade, mata-se sutil, cruel e exacerbadamente a dignidade da pessoa, desfigurando-a. Para ilustrar, basta-nos ver o número assustador de jovens assassinados nos grandes centros urbanos, envolvidos com as drogas e a prostituição. A maioria deles é pobre. Outro vergonhoso exemplo da criminalização do pobre é o sistema carcerário brasileiro: Quase meio milhão de pobres encarcerados no Brasil, muitos sobrevivendo a um estado animalesco de vida nas prisões. No mundo, segundo os dados recentes da ONU, aproximadamente 925 milhões de pessoas passam fome todos os dias.

A Celebração deste Ano Jubilar vem dizer à Igreja: Volte-se para os pobres! Voltar-se para os pobres é assisti-los, material e espiritualmente. Se os empobrecidos não são evangelizados, as solenes liturgias realizadas nas igrejas perdem seu sentido, tudo não passa de aparência e mera satisfação dos sentidos. Não se pode falar de santidade fora da evangelização dos empobrecidos, pois o Cristo nos santifica neles; é servindo aos empobrecidos que encontramos a santidade como dom gratuito de Deus. Não existe santidade fora do amor que se faz doação, fora deste amor não existe salvação para o gênero humano nem para toda a criação.

Conclusão

A prática do carisma vicentino constrói o Reino de Deus. Assim, a Família Vicentina na Igreja deve ser um sinal da ação amorosa do Deus que não quer a morte do pecador, mas que o mesmo se converta e viva.[xv] A Celebração do Jubileu motiva-nos a continuarmos de “mangas arregaçadas” na vinha do Senhor. Os empobrecidos estão aí, diante de nossos olhos, não podemos virar-lhes as costas.[xvi] O lugar dos empobrecidos é o último lugar. Ir ao seu encontro é uma exigência evangélica desafiadora, pois quase ninguém quer ir.

A experiência missionária de Jesus revela que o mesmo nasceu, viveu e morreu no meio dos empobrecidos de seu tempo. Revela, ainda, que sempre estava rodeado daquelas pessoas mal afamadas da comunidade.[xvii] Permanecer junto dos empobrecidos, participando de suas vidas é exigência fundamental do exercício da caridade. A Igreja é chamada a permanecer junto dos empobrecidos e se deixar evangelizar por eles, porque “aquele que foi evangelizado, por sua vez, evangeliza”. [xviii]

Concluo esta reflexão com uma prece vocacional do próprio São Vicente e juntamente com ele peço ao Espírito do Senhor que não abandone a Igreja Povo de Deus à mercê da desesperança e do desamor:

Senhor, enviai operários à vossa Igreja,
mas que sejam bons;
enviai bons missionários, tais como devem ser,
para bem trabalhar em vossa vinha,
pessoas, ó meu Deus,
que sejam desapegadas de si mesmas,
de suas próprias comodidades e dos bens terrenos,
que sejam mesmo pouco numerosos,
mas sejam bons de verdade.
concedei, Senhor, esta graça à vossa Igreja.[xix]

Tiago de França da Silva

Notas:
[i] Lc 4, 18.
[ii] Coste – XI, 387.
[iii] Na época de São Vicente a maioria dos padres estava em Paris, pois se recusavam a trabalhar nas pequenas cidades e povoados pobres.
[iv] O Messias esperado, anunciado pelos profetas.
[v] Documento de Aparecida. Texto conclusivo da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, n. 392.
[vi] Coste – III, 359.
[vii] Documento conclusivo da 41ª Assembléia Geral da Congregação da Missão, n. 3.
[viii] Lc 4, 42 – 44.
[ix] Para um melhor aprofundamento sobre o problema do crer no mundo moderno ver LIBÂNIO, J.B. Crer num mundo de muitas crenças e pouca libertação. São Paulo: Paulinas, 2003.
[x] Quando decidiu ser padre, Vicente de Paulo não tinha boas intenções para com o sacerdócio, pois almejava ficar rico e ajudar sua pobre família.
[xi] Documento de Aparecida. Texto conclusivo da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, n. 392 e 393.
[xii] O testemunho de vida das Irmãs Dorothy Stang e Lindalva Justo de Oliveira (Filha da Caridade) é um exemplo sublime disso.
[xiii] GROSSI, Getúlio Mota. Um místico da Missão, Vicente de Paulo. Contagem: Santa Clara, 2001, cap. 2.
[xiv] Mt 5, 43 – 48; 1 Cor 13, 13.
[xv] Cf. Ez 33, 11; Lc 15, 32.
[xvi] Documento conclusivo da 41ª Assembléia Geral da Congregação da Missão, n. 3.
[xvii] Cf. Lc 15, 1 – 2.
[xviii] Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi do Papa Paulo VI sobre a evangelização no mundo contemporâneo. São Paulo: Paulinas, 1999, n. 24.
[xix] Coste – XI, 357. In: Congregação da Missão no Brasil. Orações e Invocações. Curitiba: Gráfica Editora Vicentina Ltda. EPP, 2004, p. 87 – 88.

Vem aí a terceira edição do Dia Nacional dos Vicentinos

Em 31/10/2007 o Diário Oficial da União publicou a Lei nº 11.536/2007, que instituiu dia 27 de setembro de cada ano, o Dia Nacional dos Vicentinos. Trata-se de um ato de reconhecimento pela sociedade brasileira, do extraordinário trabalho de caridade e apostolado que a Sociedade de São Vicente de Paulo vem realizando em nosso país há 138 anos. Todos os confrades e consócias da SSVP são convidados a celebrar esse Dia, que é também o Dia em que comemoramos nosso Patrono, especialmente com uma profunda reflexão de sua ação vicentina. Agradecemos ao então deputado federal Salvador Zimbaldi e ao senador Marco Maciel pela aprovação do projeto de lei nas duas casas legislativas, e ao cfd. Huáscar Nabuco pela ideia. Fonte: CM de Juiz de Fora (MG).

SSVP promove encontro de Conferências de Crianças

A Coordenação Nacional das Conferências de Crianças e Adolescentes (CCA) promoveu nos dias 19 e 20 de setembro, na sede do CM de Uberaba (MG), a 6ª edição do Encontro Anual, na cidade de Uberaba (MG). O Tema do Evento foi “Crianças e Adolescentes, presente e futuro da SSVP: depende de nós!”, com o seguinte Lema: “Semear a espiritualidade vicentina junto às Crianças e Adolescentes”. De acordo com a Coordenadora Nacional de CCAs, csc. Josiane Guiducci, a programação do evento foi norteada de momentos reflexivos, Santa Missa, palestras e debates. “Cada momento do encontro foi preparado com carinho. Vejo que todos eles foram especiais”. Em grupos, os participantes do encontro refletiram sobre trechos do Manual das CCAs, documento que norteia os trabalhos desse segmento. Durante o Encontro Nacional de Conferências de Crianças e Adolescentes, os participantes escolheram o Metropolitano que deve sediar o próximo evento em nível nacional de CCAs. A cidade eleita é São José do Rio Preto, em São Paulo. Fonte: SSVP Brasil.

domingo, 26 de setembro de 2010

ANGELUS: "DEUS AMA OS POBRES E OS LEVANTA DA SUA HUMILHAÇÃO


Castel Gandolfo, 26 de set (RV) – “Deus ama os pobres e os levanta da sua humilhação”. Foi o que recordou Bento XVI ao meio-dia de hoje em Castel Gandolfo, antes da oração do Ângelus, destacando que o “destino eterno” de cada um é condicionado pela escolha de seguir o caminho que Deus tem nos mostrado isto é ,o amor.

No Evangelho deste domingo, recordou o Papa, Jesus conta a parábola do homem rico e do pobre Lázaro. O primeiro vive no luxo e egoísmo, e quando morre, acaba no inferno. O pobre, ao invés, que come os restos da mesa do rico, quando morre é levado pelos anjos à morada eterna de Deus e dos santos. “Bem-aventurados vós, os pobres - proclamou o Senhor aos seus discípulos - porque vosso é o reino de Deus" (Lc 6:20).

“Mas a mensagem da parábola vai além disso; recorda que enquanto estamos neste mundo, devemos escutar o Senhor que nos fala através das Sagradas Escrituras e viver segundo a sua vontade, caso contrário, após a morte, será tarde demais para se arrepender. Portanto, - continuou o Papa - essa parábola nos diz duas coisas: a primeira é que Deus ama os pobres e os alivia de suas humilhações; e a segunda é que o nosso destino eterno é condicionado pelo nosso comportamento, depende de nós seguir o caminho que Deus tem nos mostrado para chegar à vida, e esse caminho é o amor, não entendido como sentimento, mas sim como serviço aos outros, na caridade de Cristo”.

Por feliz coincidência – observou o Papa – nesta segunda-feira, 27 de setembro, celebra-se a memória litúrgica de São Vicente de Paulo, patrono das organizações caritativas católicas, falecido há 350 anos.

“Na França de 1600, ele tocou com suas próprias mãos o forte contraste entre os mais ricos e os mais pobres. De fato, como sacerdote, ele pode frequentar seja os ambientes aristocráticos, seja o meio rural, como também as áreas mais mariginalizadas de Paris. Impulsionado pelo amor de Cristo, - destacou o Santo Padre - Vicente de Paulo soube organizar formas estáveis de serviço às pessoas marginalizadas, dando origem às chamadas “Charitées”, a “Caridade”, isto é, grupos de mulheres que colocavam seu tempo e os seus bens à disposição dos mais marginalizados”.

De entre essas voluntárias - lembrou ainda Bento XVI -, algumas optaram por consagrar-se totalmente a Deus e aos pobres. Foi assim que, com Santa Luísa de Marillac, São Vicente fundou as “Filhas da Caridade”, primeira congregação feminina a viver a consagração “no mundo”, no meio das pessoas, com os doentes e os necessitados.

Em seguida o Papa falou do Amor com “A” maiúsculo, que dá a verdadeira felicidade! Demonstra-o outra testemunha, uma jovem que ontem foi proclamada Bem-aventurada aqui em Roma.

“Falo de Chiara Badano, uma jovem italiana nascida em 1971, e que uma doença a levou à morte em menos de 19 anos, mas que foi para todos um raio de luz, como diz o seu sobrenome: “Chiara Luce”, “Clara Luz”. Sua paróquia, a diocese de Acqui Terme e o Movimento dos Focolares, ao qual ela pertencia, estão hoje em festa - e é uma festa para todos os jovens, que podem encontrar nela um exemplo de coerência cristã. As suas últimas palavras, de plena adesão à vontade de Deus, foram: “Mamãe, adeus. Seja feliz porque eu sou feliz”. Demos graças a Deus, porque seu amor é mais forte do que o mal e a morte; e agradecer à Virgem Maria que conduz os jovens também através das dificuldades e sofrimentos, a apaixonarem-se por Jesus e a descobrir a beleza da vida.

Na conclusão o Papa recordou que retorna ao Vaticano na próxima quinta-feira e concedeu a todos a sua Benção Apostólica. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano

Caridade como força de evangelização


Padre Alexandre Nahass

Estou atualmente a serviço do Conselho Nacional dos Vicentinos como assessor espiritual. Sou de Campina Verde/MG. Sou o quarto filho de uma família de cinco irmãos. Também sou um filho de São Vicente de Paulo. Como vocês, além de sacerdote, também sou um missionário vicentino.

O lema deste 23º AVIV é “Caridade como força da evangelização”.

Estamos vivendo o ano jubilar (350 anos de morte de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac). E este ano nos ajuda a viver bem essa realidade vicentina. Com ele, percebemos esse conjunto de pessoas que abraçam o carisma vicentino. Quantas pessoas estão engajadas neste serviço aos mais necessitados, aos pobres!

Olhando para São Vicente de Paulo e para Santa Luísa de Marillac, cujas relíquias se encontram aqui conosco nesse evento, percebemos que esses dois santos continuam “teimando” em viver. E por que eu afirmo isso? Porque eles morreram há 350 anos atrás. Mas nós não perdemos São Vicente e Santa Luísa! Para nós, vicentinos, eles continuam vivos em suas obras, em nossa memória e em nosso coração. Neste ano jubilar nós resgatamos a memória deste dois santos tão presentes no coração da família vicentina.

São Vicente e Santa Luísa nos levam a compreender que pobreza não é castigo de Deus. Isso é muito sério! Pobreza é bem mais do que isso: é a consequência de estruturas injustas da nossa sociedade e pela sociedade.

São Vicente e Santa Luísa foram pessoas frágeis. São Vicente queria o sacerdócio para um “carreirismo”. A princípio, quando buscou o sacerdócio, São Vicente não pensava em servir mas antes em seu bem-estar pessoal. Santa Luísa, por sua vez, vinha de uma família com bons rendimentos. Mas estava muito confusa no seu projeto de vida. E daí acontece que São Vicente, no seu encontro com os pobres, e Santa Luísa, tendo São Vicente como seu diretor espiritual, acabou sendo convidada por ele a trabalhar pelos mais necessitados.

Por isso que neste ano jubilar nós não temos que nos preocupar em repetir o que esses dois santos fizeram mas, não repetindo, precisamos ter uma fidelidade criativa no serviço aos pobres. Mais do que ficarmos preocupados com o andamento de nossas Conferências, é necessário sempre escutar o que esses dois santos nos ensinam.

O animador desse encontro me chamou a atenção quando disse que nós, vicentinos, chegamos onde a televisão não chega. E é verdade. Eu mesmo testemunhei o fato de que, numa realidade de violência e de tráfico de drogas em Belo Horizonte (embaixo de um viaduto), ali chegou uma Conferência Vicentina e tocou naquela realidade a qual tanto temos medo.

"Os pobres precisam estar na base de todas as nossas escolhas"

A Palavra de Deus em I Coríntios 13,1-8 afirma o seguinte: “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria! A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. A caridade jamais acabará”.

O amor, aqui, é colocado com o nome de caridade. Esta caridade que é a força da evangelização. Ela é a essência da vida cristã. É a graça de poder experimentar Deus na própria vida. Muitas vezes somos muito imediatistas em nossos trabalhos e queremos logo resolver as situações de pobreza com as quais nos deparamos. E não vamos percebendo, através da caridade, os sinais dos tempos. Para nós, vicentinos, a força da evangelização está intimamente ligada à caridade.


São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac

Antes de fazermos missão, precisamos permanecer em estado de missão. Não há missão sem despojamento. É preciso despojar-se. Não há missão sem conhecer aquela realidade para onde somos enviados. É preciso curvar-se ante essa realidade. Conhecê-la em sua necessidade.

Como que nós podemos reviver esse espírito vicentino da caridade e da missão após 350 anos? A resposta está no fato de que nós seguimos Jesus Cristo, evangelizador, servidor e libertador dos pobres. Com toda a Igreja, nós fazemos a opção preferencial pelos pobres. E, como vicentinos, a nossa opção é radical. Os pobres precisam estar na base de todas as nossas escolhas.

O que nós, vicentinos, viemos fazer aqui na Terra? Viemos assistir aos pobres. Precisamos ter sempre em mente aquela passagem do Bom Samaritano. Aprendemos com essa passagem a termos uma caridade compassiva. A nossa caridade não é feita por números, portanto, não adianta envaidecer-se e afirmar: “Eu tenho mais de sessenta famílias assistidas”. Não! A nossa caridade é personalizada.

Os pobres não são apenas o objeto do nosso zelo. Eles são os sujeitos da nossa evangelização. E isso é muito importante ter em mente. Os pobres são pessoas humanas dotadas de dignidade. A caridade é a força da evangelização. E queremos encerrar esta nossa reflexão cantando o refrão daquela música que diz: Prova de amor maior não há, que doar a vida pelo irmão. Cantemos!


Transcrição e adaptação: Alexandre de Oliveira

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Canção Nova tem fim de semana em homenagem a São Vicente e Santa Luisa


São Vicente de Paulo e Santa Luisa de Marillac são o centro das homenagens na Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP), neste fim de semana. A Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) promove o 23º Avivamento Vicentino, nas comemorações jubilares dos 350 anos das mortes dos dois santos.

A expectativa é de que 15 mil pessoas de todo Brasil participem do evento. O tema do encontro é 'Caridade e Missão'. São presenças confirmadas, o membro da comunidade Canção Nova, padre Ivan Paixão, além dos músicos Eliana Ribeiro e Márcio Todeschini.

Dentro da programação, estão incluídas pregações, adoração e o Festival de Música Vicentina (FEMUVI). No encerramento do encontro haverá missa, celebrada pelo arcebispo de Aparecida (SP), dom Raymundo Damasceno Assis

AS RELÍQUIAS
As relíquias são fragmentos dos ossos de Luisa de Marillac e gotas do sangue de São Vicente. Elas vieram da França.

Fonte: da redação do SSVPBRASIL

Humildade não significa ser menor

Em tempos de política, pode parecer estranho falar de modéstia

Vivemos numa sociedade que tem grande necessidade de escutar de novo a mensagem evangélica a respeito da humildade. A corrida para ocupar os primeiros lugares, quem sabe esmagando a cabeça dos outros, a competição desenfreada, o arrivismo e outras expressões de desequilíbrio, todas originadas no orgulho, são atitudes, por um lado, desprezadas e por outro, infelizmente, seguidas. O Evangelho tem força social quando fala de humildade e modéstia: “Depois de lavar os pés dos discípulos, Jesus vestiu o manto e voltou ao seu lugar. Disse aos discípulos: “Entendeis o que eu vos fiz? Vós me chamais de Mestre e Senhor; e dizeis bem, porque sou. Se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros” (Jo 13, 12-14). Tal espírito de serviço é destinado a fermentar as relações sociais com sadio realismo e coragem para estabelecer novos parâmetros no relacionamento humano.
Em tempo de intensa competição por cargos políticos, pode parecer estranho falar de humildade, pois a ordem do dia é mostrar as próprias qualidades em detrimento do comportamento “do outro lado”. Ao cristão cabe a coragem de nadar contra a correnteza, propondo e experimentando em si um comportamento diverso. A palavra "humildade" tem parentesco com "homem" e as duas derivam de "húmus", que significa "solo", "fecundidade". Humilde é aquele que está embaixo, perto do solo e, justamente por isso, se arrisca menos a perder o equilíbrio. Tem os pés firmes na terra! É, pois, “humano” ser humilde! A pessoa humilde não pretende ser maior nem menor do que realmente o é. A fecundidade de sua existência depende de se oferecer, em espírito de serviço, para realizar o que é capaz na direção do bem dos outros. A modéstia faz mais belos os dons que foram concedidos a cada um. Mas humildade e modéstia só combinam com o amor de caridade! Quem escolheu viver para amar na medida do amor de Deus aceita ser apoio para os outros com humildade, sem humilhação.
Para um pai ou uma mãe de família, humildade pode ser debruçar-se para escutar histórias de um filho, ir ao encontro do outro que faz mil perguntas desconcertantes, ou fecundar com um sorriso o final de um dia. No trabalho, esta virtude pode significar iniciativa e criatividade. Uma pessoa descobrirá na capacidade de escuta seu caminho de humildade. Outra, no campo desafiador da política, poderá diminuir a arrogância de muitos dos discursos e tornar-se mais realista e mais simples, abrindo-se para a colaboração dos outros, propondo com realismo os passos em vista de uma mudança social mais consistente.
Jesus foi ao encontro de todos. Nós O vemos conversando com jovens e velhos, publicanos e prostitutas, justos e pecadores ou convidado a tomar refeição em casa de um fariseu (Cf. Lc 14,1-14). Já nas bem-aventuranças começavam os convites aos pobres, aflitos, mansos de coração, famintos, perseguidos! Ao contar os detalhes daquela refeição, o Evangelista São Lucas abre o horizonte da compreensão do grande banquete escatológico a que Deus convida todos os homens e mulheres.
É ocasião para duas pequenas parábolas. Aos convidados, Jesus parece ensinar normas de etiqueta social, mas na realidade desnuda as intenções com as quais ali se encontravam, propondo-lhes a entrada da festa do Reino de Deus pela estrada do serviço, já que muitos queriam entrar com os privilégios de eventuais indicações privilegiadas. Ao dono da festa, Cristo esclarece que um gesto aparentemente magnânimo pode esconder interesses! Dá muito trabalho – a prática da virtude! – entender que será feliz quem fizer as coisas por absoluta gratuidade: “Serás feliz, porque eles não te podem retribuir” (Lc 14, 14).
Se existe entre nós muita competição e egoísmo, por outro lado, são muitos os testemunhos de pessoas gratuitas em seu relacionamento, gente alegre e feliz que dá tudo de si para o bem dos outros. Olhando ao nosso redor, veremos florescer esta magnífica espécie! São flores da virtude da humildade, daquela humildade das flores, que tiram da terra apenas e só aquilo que precisam para serem vivas e bonitas, como Deus nos quer!

Dom Alberto Taveira Corrêa
Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Começa hoje triduo de São Vicente em Araçoiaba

Começa hoje(23) e prossegue até o dia 26 de Setembro o triduo em Louvor a São Vicente de Paulo em Araçoiaba da Serra. Neste ano Jubilar em comemoração aos 350 anos da morte de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac. O tríduo acontece na Capela São Vicente de Paulo no Centro Vicentino Nossa Senhora das Dores, localizado na rua 21 de Abril nº 551.
Acompanhe abaixo a programação:
23/09 – às 19:30 – Missa com Pe. José Brasílio – Boituva
Conferências Responsáveis: São José e São Francisco
24/09 – às 19:30 – Celebração da Palavra com Diácono Moisés
Conferência Responsável: Nossa Senhora das Dores

25/09 – às 19:30 – Celebração da Palavra com Diácono José de Anchieta
Conferências Responsáveis: São João Batista e São Roque

26/09 – às 10:00 – Missa com Pe. Jorge
Responsável Pela Liturgia: Matriz Nossa Senhora das Dores

Encontro dos membros iratienses da Família Vicentina

“Celebrar um jubileu não significa apenas fazer memória da vida e da obra de pessoas que em uma determinada época marcaram a história. Para as Filhas da Caridade o Jubileu é um momento especial de reacender a chama do Carisma e da espiritualidade vicentina.”
Após o estudo das reflexões do Ano Jubilar e do esquema de reflexão proposto pela Província de Curitiba, as Irmãs do Instituto Nossa Senhora das Graças, de Irati – PR, se propuseram a reunir os membros da Companhia das Filhas da Caridade e da Congregação da Missão, nascidos no município de Irati, assim como seus familiares, para um encontro celebrativo do Ano Jubilar.
A concretização deste propósito ocorreu no dia 19 de setembro, com a presença de Irmãs, Irmão, Padre, aspirante e familiares.
Foi um dia muito especial! Após a acolhida feita pelas Irmãs e aspirantes da Comunidade, cada família apresentou-se ao grupo, bem como, cada Irmã, Irmão e Padre, falaram a qual Comunidade pertenciam e o trabalho que realizavam.
Irmã Romilda Maria Paludo dinamicamente apresentou sobre São Vicente de Paulo, Santa Luísa de Marillac, a realidade da Província, suas obras e atividades das Filhas da Caridade.
Às 11horas ocorreu a Celebração Eucarística, presidida pelo Padre Odair Miguel Gonsalves dos Santos, Diretor das Filhas da Caridade e também iratiense. Foi um momento de render graças a Deus pelo Ano Jubilar e pela presença das famílias na história vocacional de cada membro.
Após o delicioso almoço, os presentes participaram de um momento de animação, com o sorteio de diversos brindes. Para encerrar este momento celebrativo foi servido um bolo e entoado os parabéns dos 350 anos da morte de São Vicente e Santa Luísa.
Diria nosso Pai Vicente: bendito seja Deus, minhas filhas, por esta feliz iniciativa em reunir os membros iratienses da Família Vicentina!

Irmã Jocelia Chuproski, FC

Presidenta do CNB é presença confirmada em solenidade de unificação no Uruguai

O Conselho Nacional do Uruguai e a Sociedade de Senhoras de São Vicente de Paulo vão se fundir administrativamente, em uma solenidade marcada para o próximo dia 9 de outubro, na cidade de Montevidéu.
Também participam da solenidade: o novo vice-presidente Geral, Brian O’Reilly; o vice-presidente Territorial Internacional para a América do Sul, Renato Lima e os coordenadores das Zonas 1 e 2 (Régulo Valenzuela e Júlio César Marques de Lima).
A unificação viabiliza um Conselho único, que represente os uruguaios perante a Igreja, a Confederação Internacional da SSVP, a sociedade civil e os Pobres.

FONTE: da redação do SSVPBRASIL, com dados do SSVP Global

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Epil faz reciclagem de Listas Telefônicas e favorece Creche Vicentina

Reciclar é muito importante para conservar os recursos naturais e as condições de vida do planeta. Por meio de ações simples, todas as pessoas podem contribuir com essa prática e preservar o meio ambiente.
Sendo assim, encaminhar as listas telefônicas velhas para cooperativas de reciclagem é uma forma simples de beneficiar o meio ambiente. A Epil Listas Telefônicas é uma empresa que desenvolve esse trabalho, recolhendo nas casas e nas empresas as listas usadas, encaminhando para reciclagem e utilizando o dinheiro arrecadado a ajudar entidades assistenciais.

Na cidade de Votorantim, entidades como a Creche São Vicente de Paulo são beneficiadas com as doações. Além de ajudar pessoas que precisam, o trabalho reaproveita o papel utilizado na confecção de listas telefônicas e distribuídos na cidade e região.
O Programa de Responsabilidade Social e Ambiental da Epil acontece há mais de cinco anos e já beneficiou mais de 180 entidades no Estado de São Paulo. Para participar desta ação basta entregar a lista antiga para a equipe da Epil quando receber a nova. Não deixe de contribuir com esta causa. A natureza e as pessoas que necessitam agradecem!

Fonte: Epil

Encontro do Família Leprevociana

No último final de semana os leigos de nossas comunidades do Sudeste: Marília, Pres. Prudente e Vista Alegre, os leigos de nossas ex-implantações de Jundiaí e do Parque São Domingos, reuniram-se com os RSV para mais um encontro da FAMÍLIA LEPREVOCIANA. Tudo foi preparado por uma equipe formada por leigos e RSV. O tema foi: “Leigos RSV, em que somos diferentes?”.
O grande objetivo era constatar e, ao mesmo tempo, fomentar a vivência do carisma RSV pelos leigos, dentro do seu estado laical. Foi emocionante ver o carisma RSV presente e atuante na Igreja. A alegria desses dois dias (4 e 5 de setembro) foi contagiante. Os leigos foram acolhidos nas famílias, trabalharam no sábado a tarde a temática, na noite do sábado participaram de uma confraternização com um animado FORRÓ ao vivo. No domingo, participaram da missa com a Com. Nossa Sra. Das Dores, concluíram sua reflexão, elencando as situações em que o Carisma RSV faz parte (ou pode fazer) da vida dos leigos. O Encontro encerrou com um almoço. A semente foi plantada!
No domingo, dia 12, as famílias acolhedores participaram de uma reunião para partilharem como foi a experiência de hospedar um irmão ou irmã de outra comunidade. Todos estavam radiantes de alegria.

Fonte: Religiosos de São Vicente de Paulo

O Primeiro médico RSV

Em toda a história do nosso Instituto, o primeiro médico RSV é um congolês: o Irmão Jean-Claude Mbula Mavinga, 41 anos.
Após um longo percurso “de combatente”, o Irmão Jean-Claude terminou os seus estudos em medicina na Universidade de Kinshasa.
Ele recebeu o seu diploma durante uma cerimônia no curso da qual pronunciou o juramento de uso. Podemos, agora, chamar-lo de “doutor”, mas o título que ele prefere a todo, é o de Irmão.
Ir, Jean-Claude poderá responder mais eficazmente às enormes necessidades das pessoas que freqüentam as nossas obras, especialmente na pequena clínica do nosso centro de N’Djili.
Parabéns ao Irmão Jean-Claude ! Parabéns doutor ! Com a graça de Deus, que possa seguir o exemplo de numerosas santos, tal São Vicente de Paulo, que deram a sua vida para socorrer os doentes e os pobres.
Fonte: Religiosos de São Vicente de Paulo

Dia de Espiritualidade Vicentina em Tucuruí-Pa‏


Aconteceu no dia 19 de setembro, no colégio das irmãs Filhas da caridade em Tucuruí, uma espiritualidade para a Familia Vicentina. O encontro contou com a participação dos seguintes ramos: Padres da Missão, Filhas da Caridade, AIC, Conferencias de São Vicente de Paulo,MISEVI e um bom número de outras pessoas que não faziam parte da Familia, mas que, se sentiram chamadas a participarem para se integrarem a mesma.

A programação foi a seguinte:
1. Introdução geral a Espiritualidade Vicentina
2. O que é Familia Vicentina
3. Vozes dos ramos ( cada ramo expôs seus trabalhos)
No final foi dado aos convidados uma ficha para preencherem e a partir dai a coordenação do encontro e da Familia Vicentina sugeriram quais os passos concretos se poderia dar para fortalecer o nascimento de mais ramos na cidade de Tucuruí, como a JMV e Vicentinos.
Que este jubileu dos 350 anos da morte de S. Vicente e Sta. Luiza reforce e solidifique o trabalho Vicentino na cidade de Tucuruí-Pa

Fonte: Provincia de Fortaleza da CM

Creche SVP apresenta resultado de seu Show de Prêmios

O ganhador da TV LCD de 32" foi o Sr. Luiz Carlos Souza do Bairro Vossoroca



Realizado no dia 20 de Agosto no Salão de Festas Balbo, o Show de Prêmios da Creche São Vicente de Paulo de Votorantim, reuniu cerca de 400 pessoas para uma agradável noite familiar, onde os presentes puderam se divertir e ajudar a instituição.
Acompanhe abaixo o resultado obtido no evento:
Receitas: R$ 8.582,35
Despesas: R$ 3.663,90
Lucro Líquido: R$ 4.918,45

Padre Lauro fala sobre São Vicente de Paulo

Padre Lauro Palú, diretor do Colégio São Vicente de Paulo, no Cosme Velho, nos apresenta um pouco da mensagem deixada por São Vicente, que será homenageado com diversas comemorações no próximo dia 27. Ele também mostra o perfil educacional da instituição que dirige.

Amai-vos: Qual foi a principal mensagem deixada por São Vicente de Paulo para os fiéis?
Pe. Lauro: São Vicente tinha como prioridade auxiliar os pobres, dos quais ele falava com um extraordinário espírito de fé. Ele também tinha um admirável realismo que o punha com os pés na terra e que hoje nos ajuda a ter o mesmo bom senso, para não idealizar o pobre. São Vicente, que estava todo consagrado a Deus e aos pobres, acreditava que poderia modificar as mentalidades das pessoas, para que outros também quisessem dedicar-se ao serviço dos pobres. Por isso, fez tantas reuniões com os leigos e as leigas que se dispunham a ajudá-lo ou os que ele ia procurando interessar para que o ajudassem. E os fez pensar nos pobres, nos doentes, nos desvalidos. Sua convicção pessoal era grande e foi igualmente grande sua força de convencimento. São Vicente quis organizar as boas vontades e formar multiplicadores de sua ação. Ele procurou fazer ações transformadoras.

Amai-vos: Como o ideal de São Vicente de Paulo pode ser aplicado no mundo atual?
Pe. Lauro: Podemos notar que houve alterações muito sérias em vários aspectos da vida e da ação humana, dos tempos de São Vicente até hoje. Isto nos imporá a necessidade de rever a doutrina e a prática desse santo. Em vez de repetir suas ações ou suas palavras, iremos seguir São Vicente, de maneira fiel e criativa.

Dessa forma, devemos ver o pobre não como objeto do nosso zelo, mas como sujeitos da evangelização. Para isso, trabalharemos de modo que formemos comunidades cristãs de base, onde cada pessoa possa ser ajudada a realizar-se, onde seja ajudada em sua evangelização e de onde parta para trabalhar na evangelização dos outros.

Amai-vos: Quais são as comemorações agendadas pelo Colégio e pela Congregação para celebrar o dia de São Vicente?
Pe. Lauro: Estão marcadas algumas atividades durante o dia no colégio, tais como jogos com outras escolas. Parece-me que haverá também um ato pela paz promovido pelos Alunos da oitava série em suas aulas de religião. Às 19h teremos uma missa, seguida de um coquetel para convidados, amigos, representantes dos alunos e das várias entidades de alunos (Grêmio, Comitê Graúna), alguns ex-alunos, professores e funcionários.

Fora do Colégio,haverá, aqui no Rio, outras comemorações. Será realizada, no mesmo dia, uma grande celebração dos confrades das Conferências de São Vicente, em Campo Grande. No santuário do Matoso, na Rua Dr. Satamini, 333, haverá às 19h30m, uma missa para a Família Vicentina, isto é, os Padres Lazaristas, as Filhas da Caridade, as Voluntárias da Caridade, os membros da Sociedade de São Vicente de Paulo, os membros da Juventude Marial Vicentina e núcleos que estão ligados de alguma forma à Família Vicentina.

Amai-vos: Quais são as propostas educacionais que o Colégio visa desenvolver para aprimorar a fé e a religião nos jovens estudantes?
Pe. Lauro: Estamos comprometidos numa atividade, a educação, que é essencialmente formadora de outros agentes de transformação social, numa atividade que consiste basicamente em formar multiplicadores de nossa ação. Devemos criar, com os alunos, condições de terem idéias próprias, de lutarem por elas e de realizá-las com sentido prático; isso assegura o amadurecimento, contra o infantilismo incentivado e mantido pelos meios de comunicação social, pela escola verticalista, pela política alienante e desanimadora.

Como pregou São Vicente, é nosso dever denunciar o que ocorre de mau no mundo, tudo o que está contra o plano de Deus. Denunciamos tais coisas através dos conteúdos das disciplinas, na leitura crítica dos jornais e revistas e da televisão.

Devemos também anunciar o plano de Deus, isto é, a dignidade humana, feita de direitos e deveres, a liberdade de que somos dotados como gente, a igualdade fundamental que existe entre todos nós, o chamado de todos à vida, ao crescimento e à plena realização. Anunciar os projetos de Deus, o que ele quer de nós na sociedade e trabalhar efetivamente para realizá-lo. Isso, tanto nos conteúdos com que trabalhamos, nas leituras que damos ou pedimos e nos métodos que utilizamos, pois os métodos são mais eficazes, como práticas, do que como discursos ou narrações.

Além de Professores, devemos ser Educadores; além de Educadores devemos ser Formadores. O Professor transmite conteúdos, o Educador estimula atitudes, o Formador trabalha com os valores. Devemos buscar a comunicação, em vez de proibições, devemos descobrir critérios e normas e colocá-las em prática. Devemos buscar uma educação libertadora para que os Alunos tenham senso de responsabilidade pessoal e social. Buscamos sempre o consenso.

fonte: Amaivos.uol

Módulo VII da Ecafo será aplicado em Votorantim

O Conselho Central de Votorantim estará promovendo no próximo dia 17 de Outubro a aplicação do módulo VII da Escola de Capacitação Antonio Frederico Ozanam -ECAFO.
O evento que tem como tema: "Formação para Crianças e Adolescentes", acontecerá das 08 às 12h na Paróquia São José, no bairro da Barra Funda em Votorantim.
As Fichas de Inscrição deverão ser devolvidas a Secretaria do Conselho Central até o dia 08/10.

domingo, 19 de setembro de 2010

Oração para o Jubileu

“Senhor Deus Todo-poderoso, Pai dos pobres, tu nos concedes a graça de celebrar este ano os 350 anos da morte de São Vicente e de Santa Luísa. Agradecemos-te por esta imensa graça. Concede-nos, por sua intercessão, que nos deixemos transformar mais plenamente pelo Espírito que tu lhes destes. Que o Espírito de Caridade inunde os nossos corações e as nossas almas para que o nosso amor pelos nossos irmãos marginalizados e excluídos pela sociedade, seja inventivo até ao infinito, manso, atento, misericordioso, previdente! Faz-nos redescobrir a audácia de Vicente e de Luísa, o zelo e a doçura de um amor sempre renovado pelos pobres, que os ajude realmente a mudar de vida. Ajuda-nos a tornar a nossa fé forte humilde, no nosso mundo que parece tão longe de Ti, mas que de Ti tem uma grande sede. Faz com que possamos ser sinais de esperança para muitos, como o foram Vicente e Luísa,em simples colaboração na viagem sobre o oceano da vida. Ajuda-nos a não recuar diante das dificuldades e a estar sempre prontos a sujar as nossas mãos pelos pobres, nossos mestres. Faz com que na sua escola aprendamos a tornar-nos teus verdadeiros filhos e filhas, herdeiros dignos do carisma que tu confiaste a Vicente e Luísa para o bem da Igreja e da humanidade inteira. Que este ano jubilar seja para toda a Família Vicentina um ano de graça e de conversão,e para os beneficiários do nosso amor um ano de abundantes bênçãos. Amém”.

Festa Regulamentar de SVP em Votorantim

No próximo Domingo, dia 26 de Setembro, o Conselho Central de Votorantim, estará promovendo a Festa Regulamentar de São Vicente de Paulo.
O evento será realizado na igreja São Vicente de Paulo, no Jardim Clarice em Votorantim, com início às 17h, e deverá reunir os Vicentinos dos três Conselhos Particulares de Votorantim.
A Festa Regulamentar será encerrada as 19h com a Celebração da Palavra, dentro da Novena da Festa do Padroeiro, celebrada pelo Diácono José Laerte Héber.

Vídeo: o Coração de São Vicente de Paulo

sábado, 18 de setembro de 2010

Aparecida na rota do turismo religioso


Maior Santuário Mariano do Mundo entre os pacotes da agência oficial do Vaticano

O Vaticano irá incluir o Brasil na rota do turismo religioso, e a venda dos pacotes pela agência oficial do Vaticano, a Ópera Romana Peregrinações, começam em outubro.
A parceria foi firmada nessa última terça -feira (14), no Vaticano, mas o Ministério de Turismo divulgou nessa quinta-feira (16), as cidades que foram indicadas inicialmente.
Além de Aparecida (SP), onde está localizado o maior Santuário Mariano do Mundo, estão as cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Recife (PE), Belo Horizonte (MG) e as cidades históricas mineiras são indicadas.
Para o administrador-ecônomo do Santuário Nacional, padre Luiz Cláudio Alves de Macedo, a notícia traz grande alegria ao Santuário da Mãe Aparecida.
“O Santuário Nacional, acolhe com alegria a notícia. Temos muito o que partilhar em termos de devoção espiritualidade e acolhida. Ao mesmo tempo, a possibilidade de ampliação do número de visitantes estrangeiros, nos estimula a continuar investindo na infraestrutura de acolhimento, como já estamos fazendo nas obras da Basílica e na Cidade do Romeiro. Oxalá a cidade de Aparecida se prepare, e que nela haja investimentos dos órgãos brasileiros ligados ao turismo”, disse.

Ministério de Turismo espera expandir o potencial do turismo religioso no Brasil
De acordo com uma pesquisa encomendada pelo Ministério do Turismo em 2007 para a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), 3,6% dos entrevistados declararam a religião como motivação para viagens.
Considerando o volume total das viagens realizadas no país, estimada em 225 milhões, o resultado significaria um volume de cerca de 8 milhões de viagens.
O ministro do Turismo, Luiz Barretto, estima que a parceria com o órgão que já divulga destinos mundialmente famosos como Santiago de Compostela, na Espanha, e Fátima, em Portugal, “deve proporcionar um grande impacto no fluxo turístico estrangeiro para nosso país”.
O roteiro ainda está sendo estudado e definido pela equipe do Vaticano e representantes de operadoras brasileiras.
A expectativa é que os primeiros pacotes comecem a ser vendidos no congresso da Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav), em outubro, no Rio de Janeiro.
Mas o impacto maior está previsto para junho de 2011, quando acontece o Josp Fest (Festival Internacional dos Itinerários do Espírito), na Itália.
Enquanto o Vaticano avalia os destinos que vai divulgar para os peregrinos, alguns estados brasileiros como Bahia e Minas Gerais, se antecipam na divulgação da vocação para o turismo religioso.
Nos próximos meses, o administrador da agência Vaticano, padre Caesar Atuire, deve vir ao Brasil com uma comitiva.
Nesta oportunidade, o governo brasileiro pretende apresentar outras opções nas regiões Sul, Centro-Oeste, Norte e Nordeste, além de destinos de ecoturismo como Amazônia, Foz do Iguaçu e o Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí.
Segundo o assessor de imprensa do Ministério de Turismo, Ronoald Freitas, o acordo firmando entre o Ministro Luiz Barreto e o Vaticano será uma forma de apresentar o Brasil para os católicos de todo o mundo, mostrando um país que vai muito além dos estereótipos.
A Ópera Romana foi criada em 1934 com o objetivo de levar peregrinos aos principais santuários do mundo, os chamados “itinerários do espírito”. Ao longo dos anos, tornou-se uma das maiores promotoras de tradicionais destinos católicos do mundo.

Fonte: Santuário Nacional

Novena Comunidade São Vicente de Paulo de Votorantim

A Comunidade São Vicente de Paulo de Votorantim, promove de 19 a 27 de Setembro a novena em honra ao seu Padroeiro. A igreja fica localizada na rua Aracy Velasco, 164 - Jardim Karolyne.
Acompanhe abaixo a programação:
Dia 19/09 (Domingo) as 19h - Diácono José Alberto S. Terra
Dia 20/09 (Segunda-Feira) as 19:30h - Padre Alex Sandro
Dia 21/09 (Terça-Feira) as 19:30h- Padre Theófilo
Dia 22/09 (Quarta-Feira) as 19:30h -Padre João Fernando Barreto
Dia 23/09 (Quinta-Feira) as 19:30h -Padre Ricardo Cirino Vaz
Dia 24/09 (Sexta-Feira) as 19:30h - Padre Washington Pascoal Ribeiro
Dia 25/09 (Sábado) as 19:30h- Seminarista Diego dos Santos Ferraz
Dia 26/09 (Domingo) as 19h -Diácono José Laerte Heber
Dia 27/09 (Segunda-Feira) as 19:30h -Padre Marcos Alexandre dos Santos

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

A Sociedade de São Vicente de Paulo e as eleições 2010

Há relação entre fé e religião? O primeiro vice-presidente do Conselho Nacional do Brasil da Sociedade de São Vicente de Paulo, Kaike Daivid, explica que sim, em um artigo que reflete sobre o papel do vicentino nas eleições de 2010. Leia o texto abaixo, na íntegra:

A Sociedade de São Vicente de Paulo e as eleições 2010
Aproximamo-nos de mais um pleito eleitoral. Em outubro deste ano, vamos às urnas para eleger Deputados Estaduais e Federais; Senadores; Governadores e o(a) Presidente(a) da República. Um grande momento cívico e de consolidação da Democracia Brasileira.
O tempo passa tão rápido que, muitas vezes, não percebemos que estamos caminhando para escolher pela sexta vez o presidente do Brasil, após a redemocratização do país. É um momento que conta com a participação de todos nós, homens e mulheres brasileiros, que somos chamados a usar o voto pela definição dos caminhos de nossos Estados e País.
Nesta época, sempre chegam ao Conselho Nacional do Brasil as dúvidas e pedidos de esclarecimentos sobre a participação da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) e, principalmente dos vicentinos, neste momento de eleição em nosso país. Acompanhamos uma série de debates e, muitas vezes, orientações e atos errados de nossos pares e até mesmo de nossos dirigentes vicentinos.
Precisa ficar claro para todos que somos seres políticos e devemos estar na caminhada política para também ajudarmos nossos Pobres. Ozanam tinha consciência que era preciso amar e servir aos Pobres, mas que era preciso buscar mecanismos para eliminar as causas geradoras da pobreza.
Acompanhamos com alegria a Igreja, por meio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), participando e, acima de tudo, liderando projetos que visam melhorar nosso sistema político (vejamos o projeto recente que acaba de ser votado no Congresso Nacional, conhecido como “Ficha Limpa”, que proíbe a candidatura de cidadãos com algum tipo de ação contra eles na Justiça Nacional). A Igreja mostra sua preocupação e motivação para que cristãos atuantes, que se sintam vocacionados para a vida política, possam participar ativamente da vida Política de suas nações.
O que a SSVP não quer e não aceita é a partidarização em nosso meio, em nossa instituição. É normal que os nossos membros tenham suas opções políticas partidárias, o que não pode é a SSVP tomar posições partidárias. Pode sim ter suas posições políticas (entende-se por política a prática do Bem Comum), mas não assumindo uma candidatura como oficial da SSVP. Não concedendo espaço para propaganda política em nossos órgãos de comunicação ou nossos eventos (que é inclusive proibido pela Justiça Eleitoral).
Não podemos mais permanecer inertes à tomada dos cargos políticos eletivos por pessoas que não têm compromisso com o Evangelho e com os Pobres. Não queremos políticos que imaginam ficar bem com a SSVP por propor leis que criam ruas ou escolas com nomes de Ozanam e Vicente de Paulo. Não basta para nós, políticos que julgam nos agradar por propor títulos de destaques para vicentinos. O que queremos são agentes políticos preocupados em trabalhar por construir um mundo mais justo e mais humano, principalmente para os Pobres, no caso de cargos executivos. E de políticos que possam fiscalizar e propor leis que beneficiem a parte mais sofrida da sociedade, os Pobres e miseráveis, no caso de eleitos para o poder legislativo. Podemos e precisamos exigir mais de nossos representantes políticos.
A SSVP, por meio do Conselho Nacional do Brasil, deu passos importantes para uma melhor orientação sobre nossa participação política. Como nosso espaço é pequeno, peço que todos busquem com o CNB, ou junto a seus Metropolitanos, a cartilha ‘O Vicentino e a Política. Orientações básicas’. Ela traz orientações importantes para nossa participação política. Sugiro que todos tenham conhecimento e façam sua leitura.
Que possamos buscar, por meio das eleições de 2010, construir um país cada vez melhor, mais justo e, principalmente, melhor e mais justo para os Pobres, nossos Senhores e Mestres. Que nosso voto seja também uma importante ferramenta para a prática da Caridade.

Fonte: da redação do SSVPBRASIL

Primeira edição colorida do Boletim Brasileiro


Os tradicionais preto e branco da revista Boletim Brasileiro (BB) se unem agora a uma multiplicidade de cores. Depois de 132 anos, o órgão oficial de comunicação do Conselho Nacional do Brasil da Sociedade de São Vicente de Paulo (CNB/SSVP) passa a ser todo colorido, a partir desta edição de setembro/outubro.
A possibilidade de ‘colorir’ o BB já era um sonho antigo do Departamento Nacional de Comunicação da SSVP, como descreve o diretor, Ricardo Fonseca. “O processo não foi muito rápido. Como todo sonho, para se tornar real, é preciso levantamentos, estudos de viabilidade, discussões em equipe para ampliar conteúdos e, sobretudo, ouvir várias opiniões de vicentinos, leitores do Boletim – afinal, nossa Revista é sempre criada pensando em você”.
As cores deixaram o BB mais atraente, o que contribui para uma leitura dinâmica, enriquecida por imagens.

DESTAQUES DA EDIÇÃO

Não são apenas as cores que ganham destaque nesta edição do Boletim Brasileiro. O conteúdo de espiritualidade, formação e informação também merece reconhecimento.
Há por exemplo, uma entrevista com o professor Daniel Seidel, um dos articuladores do projeto ‘Ficha Limpa’, além de artigos com conteúdos enriquecedores. Destaque ainda para as matérias ‘Sonho Meu’, ‘REENCONTRO: unir pessoas também é missão da SSVP’ e ‘Exemplos que o tempo não apaga’. A última mostra o legado de ações deixadas por São Vicente de Paulo que são ainda seguidas, justamente no mês quando se celebra o jubileu de morte do patrono da SSVP.

Boa leitura!

Fonte: da redação do SSVPBRASIL



quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Reunião define ações para Semana do Terceiro Setor

A Secretaria de Cidadania e Geração de Renda (Seci) da Prefeitura de Votorantim está preparando a Semana do Terceiro Setor que deverá ocorrer entre os dias 13 e 15 de outubro. Para tanto, já estão ocorrendo reuniões com a participação de representantes dos conselhos municipais de Assistência Social, Criança e Adolescente e demais agentes da cidadania.

O evento contará com a participação de todos os conselhos formados no município, bem como as entidades beneficentes. Durante o evento serão realizadas atividades e capacitações abordando temas "Sobre Políticas Publicas de Assistência Social" com o objetivo de fazer a integração junto ao Poder Público e Sociedade Civil, tendo como meta oferecer ferramentas para participação tornando as ações transparentes e efetivas.

Prefeitura de Votorantim – Secretaria de Comunicação (SECOM)

Mudança de horário começa dia 17 de outubro

Agência Brasil

O horário de verão deste ano terá início no dia 17 de outubro e terminará no dia 20 de fevereiro de 2011. Neste período, os brasileiros que moram nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste terão que adiantar o relógio em uma hora.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, nos últimos anos a redução média da demanda de energia elétrica tem sido em torno de 5%, nas regiões onde o horário de verão foi aplicado. A medida tem como objetivo reduzir os picos de demanda por energia, proporcionando uma utilização mais uniforme durante o dia.

O adiantamento do horário em uma hora diminui o carregamento nas linhas de transmissão, subestações e nos sistemas de distribuição, de forma que o atendimento em épocas de maior consumo ocorra com maior eficiência.

Uberaba (MG) sedia a sexta edição do encontro nacional de CCA’s

A coordenação nacional de Conferências de Crianças e Adolescentes’ promove neste fim de semana a sexta edição do encontro anual, na cidade de Uberaba (MG). O tema do evento é ‘Crianças e Adolescentes, presente e futuro da SSVP: depende de nós!’, com o seguinte lema: ‘Semear a espiritualidade vicentina junto às crianças e adolescentes’.
São esperados todos os coordenadores e presidentes dos Conselhos Metropolitanos brasileiros. De acordo com a coordenadora nacional de CCA’s, Josiane Guiducci, a programação do evento é norteada de momentos reflexivos. “Cada momento do encontro foi preparado com carinho. Vejo que todos eles são especiais”.

Fonte: da redação do SSVPBRASIL

Pela 1º vez em 15 anos caiu o número de famintos crônicos




Nesta quarta-feira (15) a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), informou que o número de pessoas no mundo que sofre de fome crônica, passou de 1,02 bilhão em 2009 para 925 milhões em 2010.
O número representa uma redução de 9,6%. Essa é a primeira vez em 15 anos que a cifra cai.
No ano passado, a cifra havia atingindo o pior número de quatro décadas.
O número de famintos no mundo vinha crescendo por mais de uma década, atingindo nível recorde em 2009 por conta da crise financeira internacional e da alta de preços dos alimentos em vários países em desenvolvimento.
"O número de pessoas desnutridas no mundo continua inaceitável, apesar de ter registrado uma queda esperada, a primeira em 15 anos. A queda se explica graças a uma conjuntura econômica favorável em 2010", explicou a FAO.
Segundo a organização, a situação manteve essa diferença em 2010 por conta da melhora das condições econômicas e da queda dos preços dos alimentos, ocorrida a partir de 2008.
O principal objetivo da FAO, é reduzir essa proporção para 10% em 2015.
“O fato de que cerca de um bilhão de pessoas permanecem famintas, mesmo depois de passadas as crises de alimento e financeira, mostra um problema estrutural mais profundo", disse a FAO no relatório.
"Os governos deveriam encorajar maiores investimentos em agricultura, expandir as redes de proteção social e os programas de assistência, e incrementar as atividades geradoras de renda para os pobres nas regiões rurais e urbanas."

Foto: Divulgação

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Portas da Biblioteca do Vaticano foram reabertas

A Biblioteca do Vaticano reabre as portas após três anos de reformas.

Hoje (13) será realizada uma coletiva de imprensa pela inauguração da Biblioteca Vaticana reformada, mas esta só será aberta ao público no dia 20 de setembro.

As obras foram iniciadas em 2007, e neste mesmo ano, o Papa Bento XVI visitou as obras.

Nesta ocasião, o Papa declarou que o “o espírito de universalidade, típico de cada autêntico saber, é o que faz da Biblioteca Vaticana uma acolhedora casa de ciência, cultura e humanismo, a qual abre suas portas a estudiosos provenientes de todas as partes do mundo, sem distinção de religião e cultura”.
Agora a Biblioteca abre suas portas novamente nesse mesmo espírito, porém com grandes inovações, principalmente tecnológicas.
Todas as operações passam a ser automatizadas, através de uma carteirinha munida de micro-chip que identifica o usuário desde o momento da sua inscrição.
Muitos serviços serão fornecidos online e todas as dependências disponibilizarão aos usuários uma rede de acesso à internet sem fio.
Segundo o prefeito da Biblioteca Apostólica Vaticana, dom Cesare Pasini, “a biblioteca estará disponível e aberta, com seus livros e todos os serviços demandados, a todos que quiserem aprofundar seus conhecimentos, estudar e pesquisar”.

Com informações da Rádio Vaticano

Foto: Divulgação

São Vicente de Paulo

V erdadeiro coração
I rmão do pobre,
C imento e semente
E ntre o céu e a terra.
N ele permanece íntegra
T ua imagem, Senhor
E nvolta em suave mistério.


D o pobre sofrido
E da míseria criatura


P ríncipio incessante de
A uxilio fraterno,
Ú nico consolo na
L uta da vida, Vicente:
O rosto de Cristo presente.


Autor: Assuero Gomes

Cronologia da Vida de São Vicente de Paulo

1581: 24 de abril, nascimento em Pouy, perto de Dax (Landes).
1595-1597: estudo em Dax; Preceptor da família De Comet.
1597-1604: estudos teológicos em Tolosa; preceptor em Buzet.
1598: morte do pai de Vicente de Paulo. Subdiaconato e Diaconato, em Tarbes.
1600: 13 de setembro: ordenado padre, em Chateau L'Evèque, com apenas 19 anos. Cura de Tihl, diocese de Dax. Viagem a Roma.
1604: 12 de outubro, bacharel em Teologia.
1605-1607: viagem a Bordeus, Tolosa e Marselha. Carta do Cativeiro.
1605-1608: permanência em Avinhão e em Roma.
1608: chegada a Paris.
1609: calúnia do Juiz de Sore. Primeiros contatos com Bérulle.
1610: capelão da Rainha Margarida de Valois. Aquisição da Abadia de São Leonardo de Chaumes.
1611: estadia no Oratório de De Bérulle. Contato com um teólogo tentado contra a fé.
1612: 2 de maio: posse como vigário de Clichy.
1613: setembro, nomeado Preceptor da família dos Gondi
1614: tentação contra a fé durante 3 ou 4 anos.
1615: nomeado Cônego de Ecouis, diocese de Evreux. Doença nas pernas.
1616: desliga-se da Abadia de São Leonardo de Chaumes.
1617: confissão do camponês de Gannes (Oise) e Sermão em Folleville (25 de janeiro). Inícios da Congregação.
1617: saída da casa dos Gondi. Pároco de Châtillon-les-Dombes. Sermão sobre a Caridade. Primeiro grupo de Senhoras da Caridade. Volta à casa dos Gondi.
1618: missões nas terras da Família Gondi. Criação das Confrarias da Caridade em Villepreux, Joigny, Montmirail. Encontro com São Francisco de Sales.
1619: capelão Geral das Galeras (8 de fevereiro).
1620: missões e criação das Confrarias em Folleville, Paillard.
1621: confraria da Caridade de Homens, em Joigny. Encontro com a fundadora das Visitandinas, de Chantal.
1622: nomeado Superior da Visitação. Viagem a Marselha.
1623: missões nas Galeras. Viagem à terra natal. Licenciatura em Direito Canônico.
1624: nomeação como Principal do Colégio Des Bons Enfants. Primeiros contatos com o Abade Saint Cyran.
1625: contrato de fundação da Congregação da Missão (17 de abril); morte da Senhora de Gondi (23 de junho). Primeiros contatos com Luísa de Marillac.
1626: aprovação da Congregação da Missão pelo Arcebispo de Paris (24 de abril). Vicente de Paulo faz doação de seus bens aos parentes.
1627: primeiro irmão coadjutor recebido na Congregação.
1628: contato com Agostinho de Potier Bispo de Beauvais, sobre a urgência da Reforma do clero. Prega o retiro dos ordinandos em Beauvais.
1629: início dos Retiros, nos Bons Enfants. Envia Luísa de Marillac em visita às Caridades.
1631: início dos Retiros aos ordinandos, em Paris.
1632: posse de São Lázaro.
1633: início das Conferências Eclesiásticas das Terças-Feiras. Primeiras Filhas da Caridade, sob a direção de Luísa de Marillac.
1635: projeto de Confraria da Caridade, na Corte.
1636: missionários enviados como Capelães Militares.
1637: discussão de Saint Cyran com São Vicente.
1638: início da Obra das Crianças abandonadas.
1639: ajuda à Lorena. Missão aos refugiados em Paris.
1640: atuação de São Vicente junto a Richelieu em defesa da paz.
1642: Primeira Assembléia Geral da Congregação da Missão, São Vicente apresenta sua demissão. Começo de um Seminário no Colégio dos Bons Enfants. Morte do Cardeal Richelieu.
1643: assiste a Luís XIII agonizante. Nomeado para o Conselho de Consciência da Regência.
1644: grave enfermidade de São Vicente.
1646: fundação na Argélia. Missão na Irlanda e na Escócia. Pedido de fundação em Marrocos.
1648: oposição ao Jansenismo. Missão em Madagáscar.
1649: interferência de Vicente junto à Rainha, para o afastamento de Mazarino (Guerra da Fronde). Opõe-se às doutrinas de Port-Royal.
1551: implantação da Congregação, na Polônia.
1652: atendimento às regiões assoladas pelas guerras: 10.000 pobres alimentados em São Lázaro; 15.000 socorridos em Paris.
1653: Vicente deixa o Conselho de Consciência.
1655: problemas entre o Governo e a Congregação por ter acolhido o Cardeal de Retz, em Roma.
1658: entrega aos coirmãos as regras comuns da Congregação da Missão.
1659: imobilizado por causa da doença das pernas. Não pode mais celebrar. Designa secretamente seu sucessor, Renê Almeras.
1660: morte de Luísa de Marillac (15 de março). Projeto de Vicente de enviar missionários à China.
1660: 27 de setembro, 4:45 da manhã, morte de São Vicente de Paulo.
1729: 13 de agosto beatificado por Bento XIII.
1737: 16 de junho, canonizado por Clemente XII.
1885: 12 de maio, o Papa Leão XIII declarou São Vicente de Paulo Patrono de todas as obras de caridade, ou seja, das Obras Sociais da Igreja
1896: 2 de fevereiro, início da Sociedade São Vicente de Paulo em Curitiba-PR.
1900: 15 de abril, início das Damas da Caridade em Curitiba-PR
1903: 30 de junho, chegada dos padres da Congregação da Missão a Curitiba.
1904: 17 de outubro, chegada das Filhas da Caridade a Curitiba.

Pesquisa: Lourenço Mika